FOTOS

Figura do Papai Noel ajuda na formação de valores  das crianças
por Arilton Batista

O Papai Noel é o maior símbolo do Natal, principalmente para o universo infantil. Quase todas as crianças esperam ansiosamente pelo fim do ano justamente para viverem o espírito natalino. A espectativa que permeia as primeiras horas do dia 25 de dezembro, que é quando o Bom Velhinho deixa os presentes embaixo da árvore de Natal, é enorme e envolve uma série de rituais, como estar dormindo logo após à meia noite e deixar um par de meias pendurado na janela.

Esses, entretanto, não são os aspectos mais importantes no comportamento infantil propiciados pela figura do Papai Noel. O principal requisito feito nessa época é que as crianças que querem ganhar, de fato, um presente de Natal têm de se comportar bem durante os últimos doze meses. Algumas pessaos não gostam muito desse método. Mas é uma forma de troca. É presenteado com o que deseja quem tem bom comportamento, o que inclui ir bem na escola, comer toda a comida, não responder aos pais, não brigar e não faltar à aula, entre outros. "Geralmente eu pergunto para os pais se o filho merece ganhar o presente. Quando eles relatam como o filho é, como estão se comportando, eu falo para a criança que levarei o presente, mas que mandarei os duendes invisíveis na casa dele durante todo o ano, para vigiarem seu comportamento. É uma forma de fazer com que sejam pessoas melhores. E funciona. Às vezes os pais voltam lá e dizem que a criança melhorou", explica Sr. Luiz Girotto, que atua como Papai Noel em shoppings de São Paulo há 30 anos.

Ele conta que a aproximação das crianças ao Papai Noel depende muito dos pais ou das pessoas que os acompanham no passeio ao shopping. Segundo ele, a palavra medo é o que mais inibi os pequenos de se sentirem confiantes no Bom Velhinho. "O Papai Noel é um camarada que inspira confiança, apesar de muitas crianças terem medo dele. Mas o que inibi as crianças é a palavra medo. Não se deve dizer para a criança não ter medo do Papai Noel. O interessante é que depois de muitos anos sendo Papai Noel é que descobri isso", relata. Com uma barba caracterísca do tradicional velhinho que entrega presentes às crianças no fim do ano, o Sr. Luiz Girotto tem participação importante na vida dos pais das crianças também. Ele conta já ter convencido algumas crianças a trocarem presentes mais caros e tecnológicos por objetos mais simples e que estimulam a atividade física. "Já aconteceu de eu fazer a criança trocar o presente. Fazer o menino trocar um vídeo game moderno por uma bola de futebol", conta o profissional, que é aposentado.

Cada dia mais novas as crianças deixam de acreditar na fantástica história do Papai Noel. Isso se dá, principalmente, em virtude da velcoidade da informação e do fácil acesso que todos têm às novas tecnologias. Crianças pequenas já possuem celular com acesso à internet. Porém muitos pais conseguem manter vivo esse espírito do natal dentro dos filhos, que geralmente dispertam o interesse pelo Velho Noel a partir dos dois anos de idade. A crença pode durar até os doze anos, segundo o Sr. Luiz Girotto. "As crianças param de acreditar no Papai Noel cada vez mais cedo. Mas ainda existem alguns com 10, 11 e 12 anos que acreditam", comenta. Ele se diz muito contente com a atividade que exerce todo fim de ano. "Eu me sinto muito realizado, porque eu adoro trabalhar com criança. Eu gosto quando elas e os pais ficam satisfeitos", finaliza o Papai Noel dos shoppings.


 

Voltar