FOTOS

Penha e Cangaíba recebem o Mônica Parade
Por Arilton Batista


Mônica Embaixadora - autor: Maurício de Sousa (Av. Paulista), Moniquets - autor: Mônica Nudelman (Penha) e Mônica de Aço - autor: Michel Costa (Cangaíba).

Para comemorar os 50 anos da Mônica, um dos personagens do cartunista Maurício de Sousa, a Editora Panini, em parceria com a Maurício de Sousa Produções (MSP), organizou um evento que colocou nas ruas da capital paulista 50 estátuas de 1,85 cm de altura da ilustre personagem. A intervenção urbana, produzida pela Toptrends – empresa especializada em eventos de arte de rua –, seguiu os moldes já utilizados pelo grupo Call Parade, que realizou, também por meio de artistas, pinturas nos telefones públicos de São Paulo no ano de 2012.

Maurício de Sousa personalizou uma das estátuas, intitulada de Mônica Embaixadora, que foi exposta em frente ao MASP – Museu de Artes de São Paulo, na Av. Paulista, 500. As outras 49 esculturas foram modificadas e arranjadas por diversos outros artistas. Entre os que assinaram as obras estão Crânio, Danilo Beyruth, Cris Campana, Fernanda Guedes, Fido Nesti, Kako e Minhau. As duas Mônicas disponibilizadas na região penhense para a exposição ficaram no CEU (Centros Educacionais Unificados) Quinta do Sol, no Cangaíba, e na Praça Nossa Senhora da Penha, no centro do bairro. Intituladas de Mônica de Aço e Moniquets, as esculturas foram feitas pelos artistas Michel Costa e Monica Nudelman, respectivamente.

A escolha dos locais para a exposição do evento se deu com o intuito de descentralizar o acesso à arte. Todas as subprefeituras da cidade receberam as esculturas da dentucinha mais invocada e famosa do cenário dos cartuns. Ao todo, 35 bairros foram contemplados. A Toptrends, empresa contratada pela Panini, procurou afixar as estátuas sempre próximas de bancas de jornal, pontos turísticos, parques e unidades do CEU. O material utilizado para a confecção das obras, que ficam sobre uma base de 25 cm de altura, é a fibra de vidro.

Para a diretora comercial do MSP, Mônica Spada e Sousa, filha de Maurício de Sousa que serviu de referência para a criação da Mônica dos desenhos, a famosa personagem pertence ao país. “Como meu pai diz, ela não pertence mais a ele, e sim ao Brasil. E já faz parte da cultura brasileira. Alfabetizamos informalmente milhares de pessoas. Para a Maurício de Sousa Produções esse fato é gratificante demais”, diz Sousa, que complementa ressaltando a representatividade que a região leste tem na vida do autor. “A Zona Leste foi onde meu pai morou quando estava começando a publicar seus personagens nos jornais. A Penha é um bairro tradicional de São Paulo e não poderia ficar sem uma escultura, que é também uma forma de homenagear os fãs da dentucinha”, comenta.

A exposição das Mônicas personalizadas e feitas de fibra de vidro aconteceu até dia 8 de dezembro. O site do evento mostra o mapa onde estiveram localizadas todas as esculturas e as notícias relacionadas, além de conter os nomes dos autores, das obras e uma galeria com as imagens das 50 obras produzidas. O endereço eletrônico é
www.monicaparade.com.br.


 

Voltar