FOTOS

Etiquetas e regras dos jovens de hoje



A palavra adolescente no latim significa crescer. O termo crescer dá o sentido de modificação. Esta é a principal característica desta fase e neste período ocorrem várias mudanças físicas, fisiológicas, psicológicas e sociais.

 É um período de ganho. O adolescente cresce e ao mesmo tempo amadurece, se desenvolve fisicamente e intelectualmente, aprende a contestar, protestar e argumentar, em vez de apenas aceitar. 

Nesta fase as amizades têm um alto grau de importância. O grupo exerce extrema influência no relacionamento do adolescente com o mundo, caracterizando seu jeito de ver e pensar sobre ele. É através dos amigos que os jovens conversam, trocam informações, tiram dúvidas, encontram liberdade para falar de assuntos que não possuem espaço no ambiente familiar. 

Neste período a imitação é acentuada. Os adolescentes passam a imitar seus amigos e revelam comportamentos estereotipados. O jovem une-se a grupos que possuem as mesmas características, se auto-afirmando de acordo com a visão que as pessoas possuem a seu respeito e mediante a dúvidas e incertezas define sua personalidade, sendo representado por ritmos altos e baixos de constantes mudanças.

 O comportamento da nova geração de jovens brasileiros:

A geração que nasceu entre o final da década de 1980 e o começo dos anos 1990 é a primeira 100% globalizada – a vida real dificilmente se desvincula hoje da virtual.
Apesar de não apresentar os pontos negativos dessa relação quase simbiótica entre homem e máquina, o estudo atesta que um número incontável de iniciativas surgem por meio do compartilhamento de ideias possibilitado pela rede. A hiperconexão leva o jovem a acreditar no poder realizador de um novo tipo de pensamento coletivo. Essa noção de coletividade origina toda uma nova interação social.

O que é ser jovem?

No que se refere especificamente aos jovens, “têm a vida pela frente”, “devem aproveitá-la”, “são novos”, “há tempo para mudar e aprender a ter limites” são falas abrangentes e significantes do contexto juvenil, surgindo repetidas vezes nas conversas com os jovens era “ser jovem é aproveitar a vida!”. 

Para os jovens, é a partir da juventude e em relação a essa fase que o verbo aproveitar toma de empréstimo certa conotação sexual/sensual e temporal, embora outras formas de uso sejam aplicadas concomitantemente.

Aproveitar a vida, em sua forma usual e corriqueira, significa inicialmente sair, namorar, ficar, divertir-se, paquerar, dançar e curtir; desfrutar a vitalidade dos anos, a sensualidade dos corpos, dos olhares e a sedução.

Estilo de vida do adolescente:

O adolescente possui uma visão positiva do mundo, possuem sonhos, metas, objetivos e busca viver com intensidade esses dias, uma fase de pico na saúde. Contudo, esta visão positiva leva a atitudes e hábitos negativos e prejudiciais à saúde que são estabelecidos nesta fase, podendo permanecer ao longo da vida, como uso de drogas, fumo, alcoolismo, violência, sexo descontrolado, entre outros. É o que tratamos de comportamentos de risco. Muitos jovens adotam este comportamento como um meio de viver intensamente a vida e superar seus limites.

Na nossa sociedade atual a maioria dos jovens desfruta de opções tecnológicas (computador, televisão, telefone, etc.) onde acessam informação e entretenimento de forma rápida e fácil. Os encontros, as novidades e conversas só são tratadas através das redes sociais.

Está substituindo nosso lazer ativo (esportes, dança, caminhadas) por um lazer passivo, como televisão e jogos eletrônicos, diminuindo a necessidade de exercitarmos regularmente nosso organismo.

Outro fato grave e freqüente hoje entre os adolescentes é quanto ao uso de drogas. Durante esta fase o adolescente se vê como um adulto, querendo ter sua própria vida e ter controle sobre si. Com isso, se afasta da família e incluem-se em grupos onde tenta buscar sua própria identidade. 

A Juventude como Criadora e Disseminadora de Tendências de Consumo:

Dado que a partir da segunda metade do século XX a juventude como conceito tornou-se o topo da pirâmide da moda e o universo simbólico juvenil da rua, tornou-se base para o processo de criação e comercialização da roupa ate os dias de hoje.

A moda, aqui entendida como um sistema de produção e tendências, que orienta o vestuário que “colou” na juventude e as perspectivas de consumo que se recriam, ficando evidente o encadeamento dos eventos culturais promovidos por grupos juvenis a e geração de padrões de moda adotados consensualmente.

Componentes dos relacionamentos:

Detectou-se que os jovens dão grande valor às amizades, cultivando as que possuem e buscando sempre novas, refletindo uma procura no lazer por encontros e contatos com os amigos, revelando uma grande afinidade entres as suas as amizades. 

As decisões para as aproximações, que antes duravam horas ou dias, e até o início das primeiras carícias ou até mesmo pegar na mão, eram processos gradativos, lentos e tímidos. Hoje se transformaram em ações relâmpagos, em que só o compromisso com a obtenção do prazer momentâneo torna possível a um casal se “conhecer”, se acariciar e “transar” em uma só e mesma noite. Depois se separar e talvez nunca mais se encontrar ou manter qualquer tipo de relacionamento.

Rapidamente, com a intenção de um breve e passageiro relacionamento, alguns podem continuar juntos e quem sabe, depois de uns “rolos”, transformarem sua relação em namoro.

Por outro lado, alimentados pela fantasia amorosa, acarretando o desejo de um amor idealizado e inatingível como, por exemplo, tomarem-se de paixão por ídolos fabricados pela mídia, como artistas e atores de novelas, cantores e líderes de conjuntos musicais, atletas famosos ou outros personagens de evidencia. 

Sendo assim, os momentos de experiências, em que se “fica” com uma pessoa, com quem se podem dividir as curiosidades e ansiedades, representam uma oportunidade para saciar muitas das fantasias criadas por paixões não correspondidas.

Saber aproveitar a vida é reconhecer limites sociais e familiares, saber escolher até mesmo os parceiros, posicionar-se de modo mais aberto para o moderno e atual. Sendo assim, a conotação sensual e temporal focalizada na juventude se destaca justamente por ser um tempo apropriado para aproveitar a vida com corpo (ativo, saudável) e/ou mente aberta. Portanto, ser ou estar jovem pressupõe inicialmente uma forma de se colocar diante das situações e dos acontecimentos, indiferentes de outras etapas do ciclo da vida. 

Momento de gravidez:

Se aproveitar a juventude é também testar fronteiras valorativas e morais, que na atualidade estão mais fluidas, então, a gravidez adolescente enfatiza o lado oposto, de vinculação com compromissos: filho, companheiro, casa e cônjuge. 

Para as jovens, na maioria das vezes, a gravidez interrompe temporariamente ou inverte planos de trabalho e estudo, e até afetando a sociabilidade das jovens, comportamentos juvenis que rompem uma trajetória e expectativa futura padrão são facilmente localizáveis nos programas de saúde e na literatura sobre adolescência e juventude como qualificações pouco valorizadas. 

Tais juízos corroboram ainda para que o adjetivo de “epidemia” social, que não revitalizam as concepções do que é ser jovem, estão baseados na construção histórica e sociocultural, e no modo como os jovens/adolescentes devem aproveitar a vida. 

Ressalta-se a existência de um aproveitar amplamente idealizado – como a entrada no mercado de trabalho, a escolarização ascendente e a posterior união, porém nem sempre os estilos e modos juvenis de viver podem concordar com tal padrão e valorizá-lo. 

Aristóteles afirmava séculos atrás algumas características que, mesmo em tempos modernos, ainda persistem, como: a valorização dos aspectos da convivência grupal, a amizade, o companheirismo e a veemência com que reagem aos conflitos, características atemporal e universal para formulações necessárias para a busca do individuo adulto equilibrado.

Cida Lopes  • Coach de Eventos Corporativos, Sociais e Gastronômicos • MBA em Hospitalidade • cida.aparecida.lopes@gmail.com


 

Voltar