FOTOS

Vamos ao teatro?
E como me comportar?



O dia 19 de setembro é uma data especial para os amantes da arte. Comemoramos o Dia Nacional do Teatro, uma das expressões artísticas mais importantes no mundo, uma arte muito antiga, que nasceu da necessidade de comunicação entre os homens, porque, desde o tempo das cavernas, os homens imitavam os animais para contar sobre suas caçadas.

 As primeiras peças de teatro foram encenadas na Grécia Antiga e eram apresentadas ao ar livre. Ao longo do tempo passaram a ser apresentadas em locais próprios, e com isso, surgiram os teatros. No início, somente os homens eram atores, interpretando, inclusive, usando mascaras para a interpretação de papeis femininos. Somente no século XVII, na Inglaterra e França, as mulheres começaram a participar das peças. 

A platéia é o membro mais reverenciado no teatro! É para o espectador que todos os esforços dos atores e da equipe técnica (iluminação, cenografia, figurinos, sonoplastia e outros) se somam, preparando a sua vinda. 

A visita começa muito antes da chegada ao teatro. A entrada na sala de espetáculos é marcante, cada teatro tem uma arquitetura especial. Uma visita ao Teatro Municipal, por exemplo, envolve toda uma história em torno do prédio e da disposição das acomodações na platéia, e quando a cortina se abre, às vezes de forma majestosa, provoca em geral uma grande euforia nas platéias.

Para uma satisfação maior, precisamos ter o mínimo de informação e conhecimento sobre o que estamos indo assistir e como se comportar adequadamente.
Em outros países, o espectador que chega fora do horário é proibido de entrar na sala. Atrapalha quem está sentado e também quem está no palco. As peças têm horário marcado, basta se programar e sair mais cedo.

Seja sempre pontual. Hoje o público anda se comportando como se estivesse em casa, chegando no horário que bem entende; as portas dos auditórios abrem, pelo menos, 30 minutos antes do horário programado para o início da sessão. Por isso, chegue sempre com antecedência, pois localizar sua poltrona na sala escura pode incomodar quem assiste e atrapalhar o desempenho no palco. 

Usar celular ou câmeras é outro comportamento de completo mau gosto. Algumas pessoas ainda não atendem os sinais de desligue o celular ou proibido fotografias. Imagina se 10% das pessoas dentro de um teatro resolvem fazer isso? Ninguém vai acompanhar a peça. Não precisa bancar o paparazzi o tempo todo. Espere a peça terminar, vá até o camarim e peça autorização. Não é tão complicado e não atrapalha ninguém. 

O falar durante a peça também é desagradável. Algumas pessoas não se dão conta do que seu barulho produz. Não são capazes de exercer o recolhimento e a assimilação dos sentimentos despertados pela peça. 

Para o pleno desempenho de um espetáculo é necessário haver um pacto entre artistas e platéia, uma cumplicidade, onde o silêncio e a atenção são essenciais. Evite conversas paralelas. Tudo pode ser falado mais tarde, se permita mergulhar no espetáculo.   

Com o aceleramento da sociedade reflete na dificuldade em se relacionar com o silêncio e o desrespeito com os artistas e outros da platéia. 

É preciso bom senso na forma de interagir, de mexer com os artistas em cena. Não são todas as montagens que dão abertura para a interação com o público, mesmo quando a peça acontece na rua. 

Não ir apenas pelo evento social. O público deve ir ao teatro também pela manifestação artística em si, vai-se a um espetáculo para ouvir e conhecer coisas novas. A gratificação está aí. Ela é inigualável, única e sua, sem apenas ter a vaidade de ser visto e achar que, assim, se torna uma pessoa culta. 

Aplaudam na hora certa. Em apresentações orquestrais, as palmas ocorrem apenas ao final das obras, quando o regente ou maestro vira-se para o público. Aplausos entre os movimentos não são recomendados por interferirem na concentração dos intérpretes e público.

Você nem gostou tanto assim da peça, mas o que fazer? Calma, não existe uma regra certa para isso. Você tem que entender que por trás do que foi visto estão anos de estudos, arte e técnica. É uma doação do artista. Portanto, é de bom tom aplaudir sempre em respeito à dedicação ao artista.

Se você gostou muito de uma apresentação, basta aplaudir. Nunca grite o nome dos bailarinos ou artistas. No máximo, pode-se dizer “Bravo!”.

Não faça dueto em cantar junto. A plenos pulmões, abafando a voz de quem está no palco. Cante e aproveite o momento, mas com sutileza.

No interior dos auditórios é permitido apenas o consumo de água e não coma nada alem de um chiclete ou uma bala. 

Código de Vestimenta para o teatro:

De acordo com as regras de etiqueta, visitar o teatro no desporto e vestuário de trabalho é inaceitável. 

Antigamente era comum as pessoas irem com as melhores roupas, onde havia uma educação social mais exigente.

Roupas para ir o teatro devem ser escolhidas de maneira inteligente. A cartela de cores deverá se adequar às estações do ano e não ao local onde serão usadas. No verão, prefira cores quentes, neutras ou claras, e, no inverno, cores escuras, neutras ou frias. 

Se fizermos um tour pelos teatros é possível constatar que, em alguns deles, as pessoas já não se preocupam em vestir a melhor roupa para a ocasião. Não é raro ver jovens de t-shirt, jeans surrado. Não há problema em vestir calça jeans, desde que seja atual e tiver bom corte e boa qualidade. Esta não é uma democracia, mas um sinal de mau gosto. 

O Teatro Municipal é um lugar muito especial e os artistas se preparam para cada peça como se fosse única e a mais importante, portanto, muitas pessoas que freqüentam se sentem acanhadas em cometer uma gafe, principalmente no vestuário.

O estilo de roupa deve variar de acordo com o teatro ou a peça apresentada, lembrando que toda estréia é ideal ir de maneira formal. 

Óperas, concertos e musicais são eventos que pedem mais atenção na hora de escolher a roupa, mas em diferentes níveis: a primeira,
 sendo a mais tradicional, requer uma produção um pouco mais cuidada. O ideal é que o traje seja formal, ou seja, traje social completo (paletó, calça e camisa social e a gravata). As mulheres, geralmente possuem roupas e jóias que não costumam usar no dia-a-dia, e a ópera é o lugar perfeito pra tirar tudo isso do closet e mandar ver.
Não há a menor necessidade de longos para elas ou smoking para eles, a menos que o traje a rigor venha explícito no convite.

Deixe suas peças de sarja para um concerto ao ar livre, o que não quer dizer informalidade total. 

Já em peças noturnas o ideal é o traje formal ou casual. Para simplificar, pode-se usar um vestido preto sem brilho. A situação pede uma roupa que transite entre o esporte fino e o social.

Em peças infantis, o traje é sempre esportivo. Por isso, o tênis e o sapatênis são liberados. As rasteirinhas (flats) também são uma ótima alternativa esportiva e informal.
Atente-se às sutilezas, ao programa e bom espetáculo!

Cida Lopes  • Coach de Eventos Corporativos, Sociais e Gastronômicos • MBA em Hospitalidade • cida.aparecida.lopes@gmail.com


 

Voltar