FOTOS

Noções básicas sobre Diabetes

Informação e mudança de comportamento são as chaves para controle da doença




Diabetes é o aumento na quantidade de açúcar no sangue (hiperglicemia) causado pelo defeito na secreção de insulina pelo pâncreas ou defeito na ação da insulina quando ela está no sangue, ou por causa dos dois motivos.
Como funciona:
Após ser produzida pelo pâncreas, a insulina vai parar na circulação sanguínea e faz com que a glicose entre na célula.
Se o pâncreas não produz insulina ou a ação dela é prejudicada por outros fatores, a glicose fica acumulada na corrente sanguínea, causando sérias complicações.
Complicações: se a glicemia ficar alta em longo prazo pode aparecer alterações na visão chegando a cegueira, problemas nos vasos sanguíneos do coração e cérebro causando derrame e infarto, neuropatia e problemas nas funções dos rins.
Sinais e Sintomas: por causa da hiperglicemia a pessoa tem muita sede (polidipsia) e, por beber muita agua então tem muita urina (poliúria). Sente muita fome (polifagia) e perde peso porque a glicose não consegue entrar na célula e fornecer energia, ela fica toda parada no sangue.
A pessoa com diabetes sente desânimo e fraqueza, tem alterações visuais, infecções frequentes de pele e na urina, e feridas nos pés e nas pernas demoram em sarar.
O melhor tratamento é corrigir a quantidade de açúcar no sangue, deixando-o o mais perto do normal (até 99 mg/dl).
Tratamento:
 Seguir um plano alimentar, individualizado, que ofereça a quantidade certa de calorias e nutrientes para controlar a glicemia, adequado aos hábitos e estilo de vida, praticar exercícios físicos regularmente, fazer uso da medicação ou insulina conforme prescrição médica e monitorar a glicemia periodicamente.
De uma forma geral, a Orientação Nutricional para Diabetes, seria:
Comer a cada 3 horas, evitando ficar muito tempo sem se alimentar
Incluir no almoço e jantar, alimentos ricos em fibras como verduras, legumes, se possível com talos e cascas.
Consumir, de preferência, arroz, macarrão e pão integrais, são ricos em fibras, vitaminas e minerais. Experimentar os farelos de cereais (aveia, trigo, e arroz).
Consumir frutas de acordo com a orientação do nutricionista, em pequenas porções e, em diferentes refeições. Consuma-as inteiras ao invés de sucos.
Ingerir grãos em geral (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico e soja) nas porções indicadas no seu plano alimentar.
Adoçar preparações (leite, café, chá, etc) com adoçante artificial.
Preferir preparações grelhadas, assadas ou cozidas com pouco óleo. Usar óleos vegetais e azeite de oliva.
Observar os rótulos dos produtos industrializados. Não usar os que contêm açúcar, mel, dextrose, glicose ou frutose.
Fique atento com os produtos light e diet, pois podem conter açúcar ou calorias em excesso.
Eliminar do cardápio, os seguintes alimentos:
Açúcar, açúcar cristal, mascavo ou demerara.
Mel, geleias, doces, balas, rapadura, sorvete, chocolate, goiabada, marmelada, paçoca, cocada, Maria mole.
Refrigerantes, groselha, caldo de cana e sucos industrializados adoçados.
Biscoitos recheados, pães doces, doces de confeitaria e bolos recheados.
Excesso de batata, inhame, cará, mandioca, mandioquinha, batata doce, arroz, macarrão e farinhas em geral. Escolha um deles por refeição e respeite a sua porção.


Edina Ap. T. Trovões Nutricionista - CRN3-1579
edina.trovoes@terra.com.br

 

Voltar