FOTOS

O Humor como determinante nas Relações Pessoais



Por muito tempo, a definição de humor usada pelos psicólogos que estudam o assunto foi aquela criada por Sigmund Freud, o criador da Psicanálise. Em seu livro “Os Chistes e a Sua Relação com o Inconsciente”, Freud escreveu que o humor é o maior mecanismo de defesa do ser humano, um instrumento que permite equilibrar as emoções e elaborar as frustrações.

Hoje, a psicologia prefere enxergar o humor menos sob a ótica individual e mais à luz de sua capacidade de influir nos relacionamentos. O tipo de humor que uma pessoa pratica é um componente forte na percepção que os outros têm dela, na definição que se dá à sua personalidade.

Segundo o psicólogo Rod Martin, autor do livro A Psicologia do Humor, o humor não é um estado de espírito único, ou seja, ele apresenta quatro variantes, cada uma com sua influência nas relações pessoais, profissionais e afetivas de cada um de nós.

Os quatro tipos de humor elaborados por Martin são:

Autodepreciativo: São pessoas que usam seus defeitos para divertir os outros. É comum nas pessoas que não se encaixam em determinados padrões sociais e precisam chamar a atenção, ou seja, o gordo que se torna divertido. Quem desenvolve esse tipo de humor, que corrói a autoestima, pode desenvolver depressão e ansiedade.

Corrosivo: São pessoas que empregam o humor para criticar e provocar os outros através do sarcasmo e do ridículo, caso o outro se ofenda, usa a desculpa de que tudo não passou de uma brincadeira. Esse tipo de humor afeta negativamente a convivência no trabalho e nas relações afetivas e, sempre inferioriza quem as recebe.

Agregador: São as pessoas tidas como “populares”. Sempre surpreendem a todos com suas brincadeiras certeiras e reduzem as tensões em situações desconfortáveis. Se bem usado têm efeito positivo.

De bem com a vida: Esse é o humor que todos nós deveríamos ter. É o humor de quem vê o lado colorido e bom da vida. Diante de um problema, em vez de estressar, ficar nervoso, ri da vida e tenta enxergar algo bom, mesmo diante de conflitos. Pesquisas mostram que esse tipo de humor traz benefícios à saúde.

É importante, entendermos o humor, como uma ferramenta social que pode nos fornecer caminhos para conhecer as pessoas e suas reações no dia a dia. Uma pesquisa apresentada no livro de Martin mostra que, no ambiente de trabalho, quem ocupa os cargos mais altos usa o humor numa proporção muito maior do que os funcionários em posições inferiores.

Aproximar pessoas, ambientes mais agradáveis são benefícios do humor. Quando rimos em conjunto há cumplicidade, há bem estar.

Todos nós, abrigamos, em maior ou menor grau, os quatro tipos de humor e, os comportamentos resultantes fazem parte da natureza humana. A forma e a intensidade com que se pratica cada tipo de humor é que faz a diferença nos relacionamentos.

Não existem formas boas ou ruins de humor, porém, o tipo de bem com a vida é considerado pelos psicólogos o mais saudável. Significa saber lidar com as dificuldades que o dia a dia nos proporciona e enfrentar contratempos olhando o lado positivo da vida.


 

Voltar