FOTOS

Os erros sexuais mais frequentes

Os erros que as mulheres cometem:




• Achar que a transa acabou depois que ele tiver ejaculado. Sim, muitas vezes é assim que acontece. Um amante egoísta ou equivocado vai virar para o lado, murmurar um “Foi uma delícia” e deixar você a ver navios. Mas embora seja verdade que o pênis dele fica mesmo fora do combate temporariamente, as mãos e a boca do rapaz continuam tão prontas para a ação quanto sempre estiveram. O que a impede, então, de dizer: “Ei, mas não acabou ainda!”, e pedir que o moço a acaricie com as mãos?

Assim, logo que ele tiver recuperado o fôlego, poderá emendar uma sessão de sexo oral (caso o rapaz não curta a idéia de cair de boca em você logo depois de ter estado com o pênis no mesmo local, tenha um pacote de lenços umedecidos perto da cama ou dê uma passada no banheiro para uma lavadinha básica).

E se o seu amor apagar involuntariamente depois do orgasmo – em defesa dele é preciso dizer que o corpo masculino é mesmo inundado por hormônios “soníferos” no pós-clímax -, procure explicar que nesse caso você precisa ter o seu garantido antes de o moço chegar ao dele.

• Reagir com escândalo sempre que ele sugere experimentar qualquer novidade. Se o seu amor chegasse em casa dizendo: “Sabe de uma coisa, querida? Como faz dois meses que eu só almoço sanduíche de frango, eu decidi que amanhã vou experimentar um de atum para variar”, você quase com certeza iria pensar: Mas que cara sem imaginação! Como foi que ele agüentou ficar comendo exatamente a mesma coisa por tanto tempo?

Ou seja: você acharia totalmente compreensível que o rapaz estivesse querendo uma novidade (e seria algo compreensível mesmo). Então, por que é a maioria de nós entra num surto paranóico se esse mesmo parceiro se atreve a sugerir mudanças no cardápio sexual do casal?

A maior parte dos casais faz na cama o equivalente a almoçar sanduíche de frango todos os dias, dia após dia, ano após ano, repetindo exatamente o mesmo roteiro a cada relação sexual. Desejar uma mudança é uma coisa natural, você não tem por que se sentir ameaçada.

Os homens, assim como qualquer mulher sexualmente saudável, gostam de ver, testar e vivenciar novidades no terreno sexual, e isso não traz nenhuma conotação alarmante (“Ele enjoou de mim”) e muito menos um alerta subentendido (“Ele só pode ter apreendido essas coisas com alguma mulher com quem esteja me traindo”).

Não há nada com que se preocupar, trata-se de uma simples necessidade humana de variar a rotina.

• Não orientar o parceiro. O mecanismo sexual masculino é simples: se o cara quer sexo, o seu pênis endurece, ele trata de agitá-lo durante um tempinho num local aconchegante e quentinho, tem um orgasmo e pronto. Basta ligar os pontos.

Já o mecanismo feminino continuaria sendo um mistério até mesmo se Einstein tentasse decifrá-lo, de tão complexo que consegue ser. Se você não mostrar ou disser ao parceiro como ele deve tocar o seu corpo – em que momentos, onde, com que intensidade e que ritmo, o mais detalhadamente possível -, é melhor os dois desistirem logo de fazer qualquer progresso quanto ao entendimento sexual do casal. E não é isso que você quer fazer, é?

Com certeza você quer garantir uma vida sexual prazerosa. Então, não fique envergonhada demais de dizer essas coisas em voz alta. Isso não é tão difícil assim de fazer, é? Assim como não é tão penoso abrir a boca e soltar um gemidinho para deixar que ele saiba que você está gostando de uma carícia em especial, ou emitir orientações simples do tipo: “Mais suave”. Comece gradativamente, sem pressa, que um dia você chega lá.


 

Voltar