FOTOS

Endometriose:
Alternativas como a cirurgia por vídeolaparoscopia podem trazer de volta uma vida sem sintomas para as mulheres




Endometriose é um tema recorrente nos debates femininos, porque além de poder causar dores durante a relação sexual, aumentar as cólicas e provocar alterações intestinais durante a menstruação, a doença ainda é umas das  principais causas de infertilidade. 

 A causa da endometriose é desconhecida, mas existem diversas teorias. O fato relevante é que o endométrio - camada interna do útero que descama a cada menstruação - pode se implantar em outros órgãos como ovários, intestino e bexiga, por exemplo. Este tecido endometrial fora do sítio habitual leva a fenômenos inflamatórios e imunológicos causando os males da doença.

 Embora o diagnóstico definitivo da endometriose necessite de uma intervenção cirúrgica, preferencialmente por videolaparoscopia, os achados da história clínica, o exame ginecológico, os  exames de imagem e laboratoriais já podem sugerir que a paciente apresente endometriose. Os tratamentos mais comuns atualmente são a cirurgia, a terapia de supressão hormonal do ovário ou a associação de ambas.

 Dependendo do grau de comprometimento da doença encontrada, a prática ideal consiste em realizar a cirurgia dos focos de endometriose, como explica o ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Dr. Fábio Muniz. “A cirurgia é indicada, principalmente, para restabelecer a anatomia pélvica e a fertilidade, sendo realizada a retirada dos cistos endometrióticos, cauterização dos focos e liberação de aderências, entre outras. O tratamento pós-operatório com medicação reduz a dor associada à endometriose e diminui o risco de recorrência da doença”, esclarece o especialista.

 Além de tratar os sintomas e de corrigir cirurgicamente o problema, também é recomendável adotar terapias de prevenção, com métodos variáveis, de acordo com o tipo de patologia.

 Dr. Fábio Muniz ainda comenta que existem casos em que a doença pode retornar. “A endometriose pode apresentar recidivas e dentre os fatores envolvidos podemos citar o tratamento hormonal insuficiente na dose, tipo estrutural e tempo de uso, além do retorno dos ciclos menstruais e consequente refluxo de material endometrial para cavidade abdominal, como também o emprego de anticoncepcionais cíclicos no tratamento”, ressalta.

 O tratamento da causa é fundamental e deve ser individualizado. É preciso entender que cuidar da endometriose não se resume apenas à luta contra as lesões do órgão. 

Significa, também, avaliar a mulher de forma integral, considerando seu estado emocional, estimular atividades físicas, psicoterapia, hobbies e minimizar fatores de estresse.

 

 


 

Voltar