FOTOS

Uso incorreto da rede coletora faz com que esgoto volte para dentro de casa
Medidas simples podem evitar entupimentos; em período de chuva, é importante verificar se ralos e calhas estão conectados à galeria pluvial
 




Em época de chuvas fortes, ações simples dos moradores ajudam a evitar o entupimento da rede coletora e o retorno do esgoto para dentro dos imóveis. Não jogar lixo no vaso sanitário nem óleo de fritura na pia são duas delas. É importante também verificar se ralos e calhas enviam a água de chuva para a galeria pluvial. Caso elas estejam conectadas à rede de esgoto, podem fazer com que os rejeitos voltem para dentro de casa. 

No Brasil, onde há grande volume de chuvas, especialmente no verão, é proibido lançar água pluvial nos ramais de esgotos. No Estado de São Paulo, o decreto 5.916/75 determina a regra. Por isso é necessário que os imóveis tenham duas saídas. A de esgoto recolhe os resíduos do vaso sanitário, chuveiro, pias e tanque. É uma tubulação de menor porte, já que esse volume não costuma sofrer grandes variações. Já a saída pluvial, maior, reúne a chuva e a água de lavagem que escoa por ralos e calhas. Os tubos devem ser separados para que o esgoto seja enviado para tratamento e para que as águas pluviais sejam encaminhadas para córregos, rios ou piscinões. 

Em alguns imóveis, porém, há uma única saída, fazendo com que a água da chuva seja jogada irregularmente na rede coletora de esgoto. Em época de temporais, como o volume é muito grande, os coletores não conseguem dar vazão, provocando vazamento de esgoto nas ruas ou dentro de casa, especialmente na temporada de chuvas. Da mesma forma, a caixa de inspeção do esgoto não deve ser aberta para escoar a chuva. 

Para evitar obstruções, também é essencial que restos de comida, bitucas de cigarro, fio dental, absorventes, preservativos e pedaços de pano não sejam descartados pelo vaso sanitário ou pelo ralo da pia. Essa prática entope a rede. Antes de lavar a louça, limpe os restos de comida com uma esponja e jogue-os no lixo. Um estudo feito pela Sabesp na Estação de Tratamento de Esgotos ABC contabilizou, em um mês, mais de 2 toneladas de lixo que chegaram ao local pela rede de esgoto. 

O mesmo vale para o descarte de óleo de cozinha. Quando despejado nas tubulações, ele endurece nos canos e gruda outros resíduos que não deveriam estar lá. Com o tempo, o óleo de fritura provoca um “infarto” na rede coletora, e o esgoto volta para dentro de casa. O correto é guardar o óleo usado em garrafas PET e entregá-lo para reciclagem – o líquido pode ser transformado em biocombustível  ou massa de vidraceiro, por exemplo. Agências da Sabesp recolhem o produto: veja a lista de endereços em http://site.sabesp.com.br/site/interna/Default.aspx?secaoId=82. Na Penha, há dois pontos de coleta: na Rua Chamaná, nº 90 e na Rua Major Rudge, nº 37. 

O uso correto da rede coletora de esgoto ajuda a proteger a saúde e o bem-estar da população, além de contribuir para a proteção do meio ambiente, beneficiando toda a sociedade. A primeira ligação de esgoto para imóveis residenciais é gratuita, e o cliente pode solicitar o serviço pela agência virtual, no site da Sabesp (www.sabesp.com.br),  pelo Disque Sabesp (0800-0119911) ou ainda nas agências de atendimento, cujo endereço mais próximo vem impresso na fatura.

 

Voltar