FOTOS

69 Tons de Lilás



Esta crônica é baseada no livro 50 tons de cinza. Um dos livros mais vendidos, atualmente, no Brasil, só que, até o momento, não entendi o porquê do interesse do sexo feminino por ele. Resolvi adquirir e ler com muita atenção cada capítulo, pois desejava decifrar esse enigma.

Ao término da leitura, com o livro em meu poder, aproveitava para mostrar às amigas e pessoas conhecidas e indagar se tinham lido e qual sua opinião sobre ele. Ao mesmo tempo, ia somando as entrevistas, até que cheguei ao número 69.

Escolhi a cor lilás e o número 69 para esta crônica, pois, como todos sabem, ambos são polêmicos.

As pessoas entrevistadas falavam que é um livro maravilhoso e até as que ainda não tinham lido, falavam a mesma coisa, somente se baseando no que outras tinham informado.
Não concordo com as opiniões das pessoas entrevistadas. Penso que estamos voltando ao tempo das cavernas, onde as mulheres eram abatidas e levadas, puxadas pelos cabelos, contra sua vontade. Talvez, até voltando ao tempo da escravidão, quando as pessoas do sexo feminino não podiam dar opinião sobre assunto algum e chamavam seu marido de SENHOR.

A escritora traz para os leitores um personagem psicopata sexual, filho de uma prostituta viciada em crack. Ele, seu irmão e uma irmã, foram adotados por uma família rica, culta, onde foi educado, estudando música e administração.

Na sua adolescência, uma amiga muito rica de sua mãe adotiva, começou a abusar sexualmente dele, o que o tornou um doente sexual.

Já adulto, para satisfazer seu desejo sexual, fazia um contrato de submissão com uma moça, pelo qual ele teria direito de controlar a vida dela, monitorando-a e tendo todos os desejos dele satisfeitos, por mais perversos que fossem. Na casa dele, tinha até um quarto, chamado quarto da dor, onde guardava todos os objetos adquiridos em sexshop, como chicotes de couro, bolas de metal, cordas e muitos outros.

Em troca da satisfação de seus desejos mórbidos, a submissa recebia dinheiro e vários presentes, inclusive carros de luxo e roupas finas. Em compensação, sua alimentação era controlada e era obrigada a fazer exercícios físicos para manter sua boa forma.

Era obrigada a assinar o contrato e guardar sigilo absoluto sobre isso e sobre tudo o que se passava na casa.

Esse é um pequeno resumo do fabuloso livro.

Então pergunto :Onde estão as famosas organizações feministas, que deixam um livro expor o sexo feminino a tamanho absurdo, a tantas coisas obscenas e não se manifestam?
Todos sabem da prostituição que existe em nosso país, principalmente no nordeste, onde uma criança se vende por um prato de comida...e ninguém faz nada.

Lembrei-me de um livro brasileiro, que li há cinquenta anos atrás, onde a escritora conta sua vida. Saiu ela de Sorocaba e veio para São Paulo, em busca de um emprego público, com uma carta do prefeito do interior, apresentando-a para um político. Na sua ingenuidade interiorana, ela vai de gabinete em gabinete, até ser abusada por vários políticos, com promessas de conseguir o tal emprego. Sofre muito em busca de seu objetivo, mas morre sem alcançá-lo.

Hoje, meninas correm atrás de artistas, de jogadores de futebol, em busca de sonhos, de vida melhor, chegando até a ser traficadas para outros países, deixando a família desesperada. Com o passar do tempo, percebem o quanto estavam equivocadas.

Quantas vezes vamos tão longe, em busca de nosso sonho? Não olhamos em derredor e não valorizamos as pessoas que nos querem bem, que sempre nos apoiam e nos amparam...Mas, se prestarmos atenção, veremos que a nossa volta, bem pertinho de nós, está a felicidade, bastando para isso que nos dediquemos ao estudo e ao conhecimento de nós mesmos, nos aprimorando nas virtudes e, com sabedoria, sonhando sonhos possíveis, que não prejudiquem a nós, nem a outras pessoas, pois só assim estaremos sendo dignos representantes da raça humana, criada por Deus.

Que todas as mulheres do nosso planeta azul alcancem seus objetivos com sabedoria e sonhem sonhos reais e verdadeiros.

 

Voltar