FOTOS

João Fernandes fala sobre sua carreira



O ator mirim João Fernandes que dava vida ao personagem Picolé um dos filhos de Mãe Lucinda vivida por Vera Holtz em Avenida Brasil teve um interessante bate papo com Cauê Bonifâcio. Acompanhe a conversa. 

CityPenha: Como é pra você, um ator tão jovem e com um currículo de dar inveja no bom sentido a qualquer ator veterano ou iniciante. Como foi o início de carreira?
João: Como todo início foi complicado porque eu já queria ser ator há um bom tempo e não tinha tido oportunidades nem apoio dos meus familiares, até o dia em que me inscrevi sozinho numa agência de atores mirins, ai minha mãe teve que aceitar os meus apelos. Logo após eu iniciar o curso de teatro eu fui chamado para o meu 1º teste  que foi para ''Caminho Das Índias ' e acabei passando e tendo um grande aprendizado sobre o mundo da televisão durante a  novela.

CityPenha :Avenida Brasil foi um marco na televisão brasileira. Como se sente tendo feito parte desse projeto e como pintou o convite?
João: É um grande orgulho ter feito parte desse marco e dessa novela histórica... foi uma novela que impressionou o país em termos de roteiro, direção, atuação e tudo mais... Sou reconhecido até hoje pelo ''Picolé'' e sou muito agradecido pelo convite de Ricardo Waddington que  na época de ''Cordel Encantado'' me procurou nos estúdios para fazer o convite, foi emocionante!

CityPenha: Todos nós atores querendo ou não sempre temos o nosso preferido. Você deu vida ao Luizinho de Escrito nas Estrelas, Amarit em Caminhos da Índia, Nidinho de Cordel Encantado e  Picolé de  Avenida Brasil ? Fale um pouco da experiência de cada um deles?
João: O Amarit por ser o primeiro acredito que foi um personagem de grande aprendizado, pois começar em uma novela das 21 horas e com um vilão não é fácil. O Luizinho foi bom pelo fato de eu ter começado num papel considerado grande, foi bom para a minha cabeça pois eu ainda era criança, e aprender que nem tudo são flores, que existem papéis grandes e papéis pequenos, e todos devem ser interpretados com o melhor de cada um. Nidinho foi um presente e um divisor de águas para mim pois tive grande reconhecimento como ator e foi bastante importante. Picolé foi um personagem também histórico pra mim porque aprendi muito sobre direção e sobre como fazer roteiros nos bastidores com alguns atores e despertou meu interesse por roteiros. Hoje, eu escrevo meus próprios roteiros de stand-up para teatro.

CityPenha: A imagem que eu tinha quando via o Picolé no lixão em Avenida Brasil era de que ele era um garoto responsável e muito certo do que queria. Gostaria que contasse essa experiência que você teve ao interpretar um personagem tão real nos dias de hoje?
João: Acredito que eu tenha tirado isso de minha própria vida e passei para o Picolé, sempre me senti muito responsável e quando pediram para montar o personagem eu coloquei isso nele !

CityPenha: Como pintou o convite para você atuar no longa “De Pernas pro Ar” e porque não estava presente no “De Pernas pro Ar 2”?
João: O meu personagem no ''De Pernas pro Ar'' foi através de um teste que eu fiz, e passei! Fui convidado para o segundo filme mas não pude  participar no 2 pois eu estava nas gravações de ''Avenida Brasil'' e não podia passar duas semanas em Nova York para fazer as gravações, então a produção da novela acabou não me liberando.

CityPenha: Com tantos trabalhos em TV, você encontra tempo para brincar, encontrar amigos e escola. Como é seu dia a dia? 
João: Meu dia a dia é considerado normal por mim, pois a novela me deixa com tempo aberto para sair com meus amigos e estudar no tempo necessário. Faço aulas de dança, teatro, jogo futebol, enfim uma vida normal.

CityPenha: Em primeiro lugar parabéns pelo prêmio de melhor ator infantil no 14° Prêmio Revista Contigo, pelo seu trabalho em Cordel Encantado. Divide com a gente essa emoção?
João: Foi uma emoção muito grande pra mim, tenho até hoje o prêmio num local de destaque na sala da minha casa, e me deixa muito orgulhoso por ter meu trabalho reconhecido pelos jornalistas! É difícil colocar em palavras a alegria que eu senti na hora.

CityPenha: Já esteve em alguma montagem teatral?
João: Sim, fiz 3 trabalhos teatrais já, um de comédia chamado ''Showria'', uma comédia em que fazia alguns dos meus stand-ups, fiz outra peça chamada ''Será que ele vem?'' que era uma comédia sobre o natal e acabei de terminar minha temporada como ''Fritz'' no ''Quebra Nozes'' no Theatro Municipal. 

CityPenha: Conte um pouco dos eventos beneficientes em que você participa?
João: Eu sempre gostei muito de fazer eventos beneficentes, mesmo antes de ser ator eu já comparecia em todos, pois sempre quis proporcionar a todos um pouco de felicidade, um sorriso no rosto de uma criança é um mar de alegria pra mim. Como ator sei o quanto é importante participar e poder ajudar os outros.

CityPenha: Qual seu esporte favorito?
João: Futebol claro, não canso de ver meu Fluminense sendo campeão!  

CityPenha: Sei que você deve ter vários atores em que considera os melhores. Mas gostaria que indicasse na sua opinião o melhor ator e atriz.
João: Na televisão brasileira eu tenho grande admiração pelo Emiliano Queiroz e pela Fernanda Montenegro.

CityPenha: Deixe uma mensagem para os jovens da sua faixa etária que ainda sonham em se tornarem atores?
João: Nunca desistam dos seus sonhos, apenas isso à declarar. 

CityPenha: Deixe um recado para os leitores da CityPenha?  
João: Continuem lendo a revista e se ligando na telinha porque logo logo eu estou de volta !!


 

Voltar