FOTOS

Tendências de fitness 2013 



A busca por mais qualidade de vida e as novidades na área de fitness ditam tendências para as atividades físicas para 2013.

Corpo sarado e músculos enormes não tem sido mais o foco dos frequentadores de academias. Principalmente as pessoas acima dos 30 anos de idade, que notam que suas condições físicas já não são como antes, pessoas que notam que estão deixando de lado sua saúde, que apresentam hipertensão, diabetes ou dores, começam a procurar alternativas mais eficientes  para alcançarem seus objetivos. Pagar um plano de academia o qual você pode fazer todas as atividades, já não está mais atraindo as pessoas, porque afinal de contas o aluno faz somente 1 delas. Entrar em uma academia, receber um pedaço de papel com o que deve ser feito sem um acompanhamento necessário, parece estar gerando insatisfação nos alunos de academia. 

O fisioterapeuta Rodrigo Rizzo, diretor do Instituto do Movimento, diz que o Colégio Americano de Medicina do Esporte publica no final de cada ano, as novidades fitness do ano seguinte. Após entrevistar 3.346 profissionais, os pesquisadores fizeram uma relação das tendências para 2013.  Segundo Rodrigo Rizzo, os pontos mais marcantes são: 

1- Profissionais qualificados: as pessoas devem ser orientadas por educadores físicos devidamente formados e bem treinados. Para que quer obter resultados de forma segura, orientação por estagiários não é uma boa opção. O mundo da atividade física e saúde apresenta mudanças constantes e o profissional deve estar sempre se atualizando para oferecer boas opções para seus alunos. O profissional deve estar sempre atento às necessidades e preferencias dos alunos: avaliando e reavaliando frequentemente a posição do corpo nos exercícios, o peso e as repetições realizadas, os sinais de cansaço, motivações...

2- Personal Training em pequenos grupos: sabemos que para ter um bom profissional e um atendimento que vai ao encontro das necessidades dos alunos, é necessário pagar mais para isso. Obviamente formatos de atividades com um professor para vários alunos, aumenta os riscos de lesões e carece de atenções necessárias para atingir os resultados. No entanto, algumas academias oferecem um atendimento mais próximo do aluno, com um custo mais baixo do que se pagaria para um personal trainer. Grupos pequenos com no máximo cinco pessoas por exemplo, permite com que o professor monitore de perto o treinamento e ao mesmo tempo reduz o custo em 5x comparado com um personal trainer. O preço pode ser um pouco mais alto que é normalmente oferecido nas academias, mas para quem quer ou precisa de uma atenção diferenciada, encontra boas vantagens nesse sistema de treinamento. 

3- Acompanhamento dos resultados: as pessoas entram nas academias com algum objetivo especifico. Esses objetivos são perguntados no inicio das atividades e muitas vezes esquecidos ao longo do treinamento por parte dos profissionais. Atualmente é possível acompanhar os resultados em períodos de tempo mais curtos, motivando ainda mais o aluno à atividade. Além disso, algumas avaliações são feitas no inicio da atividade para que o professor posso elaborar o treinamento de acordo com as condições iniciais do aluno. No entanto, o treinamento montado a partir da avaliação inicial, não é uma receita exata e deveria passar por alguns ajustes logo no inicio do treino. Quando isso não acontece as pessoas correm o risco de fazer exercícios desnecessários, podem ficar fadigados, sobrecarregados ou fazer menos do que podem. Quando existe avaliações mais frequentes, é possível evitar riscos e tornar os resultados mais rápidos. 

4- Treinamento resistido e de força: a musculação continuará sendo uma boa opção, pois é ainda a melhor atividade para ganhar força e definição. Além disso, pode ser feita de forma especifica para alguns músculos do corpo, não necessita de muita habilidade para executar os exercícios e é relativamente fácil do profissional monitorar os alunos. 

5- Treinamento com o peso corporal: atividades como yoga, pilates entre alguns outros continuam sendo boas opções porque trabalham a consciência corporal, a respiração, flexibilidade e resistência muscular. O piltaes com aparelhos, por exemplo, é um tipo de atividade que necessita de maior supervisão e profissionais especializados, por isso podem necessitar de investimento financeiro maior por parte dos alunos. 

6- Treinamento Funcional: diferente dos exercícios de musculação, que trabalha músculo por músculo nos exercícios, o treinamento funcional apresenta exercícios que levam os alunos a usarem vários músculos ao mesmo tempo, simulando situações do dia a dia. Podem ser mais dinâmicos e atingir resultados mais específicos do que a musculação.

7- Coach de bem-estar: algo que é muito frequente nas academias é pagar por várias atividades e por vários meses e não frequentar nem mesmo metade do que foi pago. No entanto, existem profissionais qualificados que ajudam as pessoas a formularem um plano de ação voltado à saúde. Às vezes, vale mais a pena pagar para um profissional desses e fazer a atividade proposta, do que pagar para uma academia e deixar de fazer a atividade. Às vezes, pode valer mais a pena pagar por uma atividade que se vai realmente fazer, do que pagar por várias atividades e ficar confuso a qual fazer.


 

Voltar