FOTOS

Os calendários festivos das escolas e as integrações sociais

Antes do início das aulas é difícil controlar a ansiedade.  As grandes perguntas são: “Será que os novos colegas serão tão legais quanto os anteriores? Como serão as novas aulas? E a bagunça? E as festinhas?”

Analisar a escola como espaço sócio-cultural significa compreendê-la também na ótica social, com um processo dinâmico, criativo, ininterrupto, em que os alunos vão estruturando sua personalidade a partir das suas interações e opções cotidianas, ocorrendo nos mais diferentes espaços e situações sociais, num complexo de experiências, relações e atividades

O recreio é o momento de encontro por excelência, além de ser o da alimentação. Os alunos de diferentes turmas se misturam, formando grupos de interesse. Enquanto uns merendam, outros se sentam sobre as mesas no pátio. É o momento da fruição da afetividade, quando os alunos ficam mais soltos, conversam, discutem e paqueram.

A sala de aula é um espaço de encontro, com características próprias. É a convivência rotineira de pessoas com trajetórias, culturas, interesses diferentes, que passam a dividir um mesmo território, regras e valores próprios, refletindo uma experiência de convivência com a diferença e uma  aprendizagem de convivência grupal.

Formam-se subgrupos, por afinidades, interesses comuns, quase sempre identificadas por algum dos estereótipos: a turma da bagunça, os C.D.F., os mauricinhos, com as conversas e brincadeiras ocorrendo preferencialmente no interior de cada grupo que tem regras e valores próprios.

O calendário festivo faz parte do plano de ensino da escola e serve como apoio (senão como guia) das escolas constituírem um espaço de produção dos discursos e dos significados e nestes momentos festivos possui componentes históricos, culturais, políticos e sociais. 

Em época de preparação da festa, surge um clima diferente na comunidade escolar. Os alunos podem sair de suas salas, a direção lhes atribui novos papéis a serem executados. Os professores podem sair de suas aulas aderindo à programação da festa. 

As festas escolares trás um momento de descontração e analisado pelas partes que a constroem, fica nítida sua função disciplinar, não tratando apenas da decoração dos ambientes, elas significam a exposição de um ideário da escola sobre educação, aprendizagem, pró-atividade, saber trabalhar em grupo, destacar lideres através de respeito, cidadania, maior interação com a família e criar perspectiva de futuro.

Dia de festa, também é dia de aprender, considera-se que o significado para os alunos, que é o dia da auto-estima elevada, auto-afirmação, satisfação, senso de dever cumprido, além das oportunidades para fortalecer o contato da escola com as famílias e amigos e vice-versa.

É um momento onde existe união para atender aos interesses de todos que permeiam a vida de alunos, professores, pais e outros participantes da escola. Essas práticas funcionam como reforço, manutenção, formação ou alteração de valores culturais, éticos e morais da formação dos indivíduos.

Alguns eventos servem para fortalecer emocionalmente os alunos, proporcionar a interação entre os pais, criando grandes amizades duradouras entre professores, alunos, pais e colaboradores, outros eventos funcionam para tentar injetar uma renovação do compromisso com as motivações e valores dominantes. 

É o caso desses exemplos:

Dia da Poesia: Poderão ter atividades de incentivar a criação, ilustração e declamação de poesias pelos alunos, pesquisa sobre os poetas brasileiros, construção de painel com poesias. 

Dia do Circo: As atividades sugeridas podem ser confecção de máscaras, estudo de textos, construção de palhaços e objetos circense com material reciclado, dramatização, espetáculo e brincadeiras.

 Dia da Saúde e Nutrição: Dramatizar hábitos de higiene e da boa alimentação,  montar mural sobre alimentos regionais, reflexão sobre a democracia Atividade orientada sobre o tema.

Dia Nacional do Livro Infantil- Nascimento de Monteiro Lobato: Exploração da obra de Monteiro Lobato, promover a “hora do conto”, com leituras de histórias, visita a Biblioteca Monteiro Lobato, exposição de livros, confecção de livros. 

Dia do Índio: Painel sobre índio brasileiro, costumes e cultura, confecção e exposição de objetos indígenas, pesquisa sobre lendas indígenas. 

Feriado de Tiradentes: Reflexão sobre a Inconfidência e a democracia, papel dos Mártires e quem são os atuais? 

Dia do Trabalho: Confecções de fantasias sobre profissões, pesquisa sobre as profissões, explorando a importância, a questão do emprego hoje e o desemprego. 

Festas Juninas: Festa Típica, decoração com motivos caipiras, comes e bebes, danças típicas e brincadeiras.

Semana do Folclore: Apresentações de danças e cantigas folclóricas, brincadeiras infantis, pesquisa, dramatizações de lendas, mural com personagens do folclore brasileiro.

Dia da Árvore: Pesquisa sobre os perigos do desmatamento, organização de terrários nas salas de aula, plantio de árvores, confeccionar mural com arranjos de galhos e flores secas, desenho e recortes de flores e plantas, decorar as salas com pássaros e flores de papel, músicas e poesias, mural com produção dos alunos, desfile na área externa da escola.

Dia Internacional dos Animais (São Francisco): Confecção de desenhos, pinturas e modelagem de animais, animais em extinção, música e dramatização sobre animais, montar mural com as principais invenções do homem e seus benefícios para a humanidade. 

Dia Mundial da Alimentação: Pesquisa, visitar fábrica de alimentos, palestra com nutricionista ou profissional ligado a tecnologia de alimentos. 

Dia da Bandeira Nacional: Estudo sobre a nossa Bandeira: forma geométrica, sua faixa e legenda, cores, estrelas, confecção de bandeiras com colagem de materiais diversos. 

Festa de Encerramento do Ano Letivo - Mostra de Arte: Festa de encerramento/ Confraternização do Natal, exposição dos trabalhos de Arte dos alunos aos visitantes.

Com todo este trabalho de conscientização, criação e aprendizado é levado para casa e compartilhados com a família e amigos.

Todos eles são momentos que garantem a reprodução de valores considerados universais na nossa cultura, contribuindo, de alguma forma, na construção dos elementos de uma “identidade”.

Possibilita lidar com a subjetividade, havendo oportunidade para os alunos falarem de si, trocarem idéias, sentimentos. Potencialmente, permite a aprendizagem de viver em grupo, lidar com a diferença e com o conflito. 

É visível o envolvimento e interesse de boa parte dos alunos. O fato de uma turma produzir uma coreografia, ensaiar, dividir responsabilidades, brigar com aqueles que não queriam se envolver, produzir as fantasias, ficar tensa na véspera da apresentação, apresentar e ser aplaudida, é uma experiência educativa intensa. 

Não deixa de significar um resgate da capacidade de criar, expressar, de potencializar as capacidades que quase nunca são estimuladas no cotidiano destes jovens.

Amizade na escola

Manter amizades de qualidade no jardim da infância podem ser a garantia de menores problemas comportamentais e melhores habilidades sociais.

As amizades são importantes para o desenvolvimento psicossocial das crianças e possibilitam a aquisição de habilidades no convívio grupal, esse contato social permite que a criança ou adolescente saiba mais sobre si mesmo e sobre o mundo na medida em que amadurece, aprendendo noções de limites, respeito, semelhança e diferenças, competição e solidariedade. 

E para os pais uma oportunidade de estarem sempre atentos as amizades e ambientes dos filhos é manter uma participação intensa com a escola e com isso a possibilidades de também ter uma vida social com os pais dos outros alunos e também se divertindo e aprendendo nestas festinhas.


 

Voltar