FOTOS

As diferenças do Natal e do Ano Novo



Natal é um feriado e festival religioso cristão comemorado anualmente em 25 de Dezembro nos países eslavos e ortodoxos e tambem comemorado por muitos não cristãos.

Muitos historiadores localizaram a primeira celebração em Roma, no ano 336 D.C, no entanto os primeiros registos da celebração do Natal têm origem anterior, na Turquia, a 25 de Dezembro, já em meados do sec II.

Costumes populares típicos do feriado incluem a troca de presentes e cartões, a Ceia de Natal, músicas natalinas, missas, uma refeição especial e a exibição de decorações diferentes: como as árvores de Natal, pisca-piscas, guirlandas e presépios.

Uma tradição moderna do Natal é a decoração de casas, edifícios, elementos estáticos, como postes, pontes e árvores, estabelecimentos comerciais, prédios públicos e cidades com elementos que representam o Natal. Em alguns lugares, existe até competições, visitações e premiações pelas melhores decorações.

Além disso, o Papai Noel, a mais famosa e difundida figura do Natal, um mítico portador de presentes, vestido de vermelho. A origem do nome em inglês Santa Claus que significa simplesmente São Nicolau. Nicolau foi bispo de Mira, na atual Turquia, durante o século IV, ele foi associado ao cuidado das crianças, a generosidade e a doação de presentes.
As festividades natalinas constituem uma celebração essencialmente familiar e não envolvem apenas a família nuclear. Reúnem-se diferentes gerações e ramos colaterais; primos, tios e até parentes distantes. Hoje o Natal implica numa dupla ou tripla comemoração que se inicia na noite do dia 24 de dezembro e se encerra na noite do dia 25, englobando ceias, almoços e jantares em diversas casas de familiares e amigos.

Ceia, o ponto alto do Natal

Poucas datas comemorativas possuem simbologia tão rica quanto o Natal, em alguns casos, passadas de geração para geração há mais de 2 mil anos. A mesa farta e saborosa é juntamente com toda a família e amigos queridos, o ponto alto da noite de Natal. 

No entanto, algumas literaturas apontam que a Ceia de Natal teria surgido do antigo costume europeu de deixar as portas das casas abertas no dia de Natal para receber viajantes e peregrinos. Estes, juntamente com a família hospedeira, confraternizavam aquela data tão significativa para os cristãos, e colocando sobre a mesa uma vela acesa simbolizando o Cristo vivo, celebrado e comemorado numa linda noite de Natal.

Impacto econômico

Como a troca de presentes e muitos outros aspectos da festa de Natal envolvem um aumento da atividade econômica, a festa tornou-se um acontecimento significativo e um período chave de vendas para os varejistas e empresas. 

O impacto econômico do Natal é um fator que tem crescido e aumentando dramaticamente, sendo o maior estímulo econômico anual para muitas nações ao redor do mundo. 

Ano novo: as esperanças se renovam

Quando um novo ano se anuncia, a esperança bate à porta, mesmo que tudo indique o contrário. É hora de deixar o velho para trás, soprar as teias de aranha, deixar o ar entrar, respirar o novo, acreditar no amanhã.

São promessas que se renovam, mesmo que não dê para cumprir nenhuma. Pois o que vale é o astral, a energia de desejar, de transformar, de deixar para trás o anteontem das coisas. Acreditar no futuro e celebrar.

O hábito de viajar nessa ocasião é bastante frequente, mas não implica na dissolução da comunidade familiar. As casas de campo ou de praia passam a ser suficientemente amplas para abrigar muitas pessoas. 

Os feriados do Ano-Novo, são novas oportunidades para desfrutar da natureza, do ar puro, do convívio com os animais e plantas assim como para as práticas esportivas e os exercícios físicos que garantem a boa saúde e a estética corporal.

 

Voltar