FOTOS

Refeição a dois!
(com amigos ou familiares)


Conciliando prazeres, divisão de tarefas e os desafios em não cair na tentação dos exageros

 

Comer em companhia, a dois ou em grupo, no restaurante ou em casa, é um momento precioso para fortalecer laços, fazer planejamentos e aproveitar para saber uns dos outros. Então, como aproveitar esses momentos e tirar o melhor proveito, envolver toda a família nessas preparações, sem cair em armadilhas na hora da escolha dos alimentos e nas quantidades consumidas? 

Refeições a dois ou em família pode trazer mais vantagens do que o prazer da companhia. Para crianças e adolescentes será a oportunidades para incorporarem bons hábitos de alimentação, fazerem refeições em horários regulares e praticarem o exercício da convivência e partilha. Nesse momento que a gastronomia está em alta e dicas de receitas explodem o tempo todo na mídia, é hora de aproveitar e envolver o parceiro(a)  e toda a família no planejamento e  preparo das refeições. 

Agora, se por um lado ter companhia apresenta uma lista de vantagens há o risco de se comer mais do que o necessário, isso mesmo, o ambiente, local e companhia influenciam no consumo.

Comer distraído, o que acontece?

Comer em companhia aumenta a chance de se comer distraído. O “comer distraído” impede que se preste atenção aos sabores e na sensação de saciedade, assim se consome muito sem necessidade além de ficar difícil perceber o quanto já se consumiu.

Comer sozinho não é a solução, a ideia é estar atento à refeição e observar a comida e as sensações que ela proporciona, evitando o “comer inconsciente”. 

 


Comer em companhia e exagerar na quantidade

Além da distração que a companhia oferece há algumas outras atitudes podem contribuir para os exageros, como: terminar de comer somente quando todas as pessoas também tiverem acabado; não deixar comida no prato; não perceber o tamanho do prato e do copo ( em geral eles são maiores nos restaurantes) e assim consumir muito mais que o habitual.

O que acontece quando se está na frente de muitos alimentos ou em um Buffet?

Sabe-se que a exposição de uma pessoa ao alimento pode favorecer o aumento do consumo. De um modo geral, só de se observar algo há o risco de se aumentar o desejo por possui-lo. O mesmo acontece com a comida: quanto mais próxima se estiver dela, maior a chance de comê-la e menor a noção sobre quanto de fato foi consumido. 

Nesse sentido seria uma boa ideia deixar mais próximos e visíveis alimentos como frutas e vegetais.

A variedade de alimentos versus a quantidade que se come.

Comer em companhia faz bem para a saúde mental, mas nesse momento há a possibilidade de se expor a uma maior variedade de pratos e preparações – e por consequência a sabores- que “obrigam” a pessoa a experimentar um pouco de tudo. Quando há menos opções, é mais fácil de “cansar” daquele sabor e não ficar repetindo.

Uma dica para não cair nessa armadilha é escolher apenas um prato e saboreá-lo intensamente. 

Atenção aos gatilhos que levam ao aumento do consumo

Estudiosos em nutrição relatam que as pessoas costumam se “convencer” que irão comer muito mais do que estão acostumadas já que irão comer na companhia de outras pessoas ou comer fora de casa. Isso é um gatilho para ganhar peso. Ir ao cinema e já pensar na pipoca ou já que vai jantar em restaurante irá pedir sobremesa são armadilhas que podem ser evitadas.

Feliz Dia dos Namorados!


Por Edina Aparecida T. Trovões • Nutricionista CRN3-1579 • edina.trovoes@terra.com.br • Consultório: 2307-1551


 

Voltar