FOTOS

Arthur Xavier 

Prefeito Regional de Ermelino Matarazzo

 

Conversamos com o Prefeito Regional de Ermelino Matarazzo que falou um pouco de sua história e sua trajetória, que inclui ser subprefeito de Cidade Tiradentes.

CityPenha: Arthur como foi sua trajetória até chegar na política? 

Arthur Xavier: Minha formação é de comunidade. Não vou fugir nunca disso, eu venho de movimento popular. Fiz parte da Sociedade dos Amigos do Bairro aqui na Ponte Rasa, participei na minha juventude da JOC que significa Juventude Operária Católica, onde aprendi o lema: ver, julgar e agir e por onde passo o ponho em prática. Foi assim na minha vida profissional, na carreira que fiz na CESP (Cia Energética de São Paulo), onde entrei como contínuo servindo café e me aposentei como gerente financeiro. Isso é ver, julgar e agir. Ao ver os presidentes que passavam eu perguntava “o que eu preciso para ser assim um dia?” E eles sempre diziam que é preciso estudar, e se preparar muito. Eu não tive tempo de ir para samba, jogar futebol, foi a opção que eu fiz. Estudei e defini como foco ser alguém um dia. Eu entrei como contínuo, era um negro servindo café, e me aposentei como gerente. Eu fui o primeiro executivo negro da CESP. Respondi também pela Chefia de Gabinete da EMTU- Empresa Metropolitana de Transporte Urbano, até dezembro de 2016. 

CityPenha: Esse lema é muito forte, você se mantém fiel a ele?

Arthur: Esse lema sempre caminhou comigo: ver, julgar e agir. Foi assim na CESP, foi assim na minha vida. Na minha passagem pela FEBEM, quando realizei um trabalho na época daquelas rebeliões, ouvia sempre dos meninos “senhor palavra não tem curva”, para eles, cumprir o prometido é o correto. Com isso, lá sempre coloquei esse meu lema: ver, julgar e agir.

CityPenha: Você acredita que essa postura levou você adiante no meio político?

Arthur: Com certeza. Quando eu fui para o Palácio dos Bandeirantes ser assessor do Governador criei o NAC – Núcleo de Atendimento ao Cidadão. Todo mundo da assessoria do governador queria atender os prefeitos, governadores, deputados e eu queria atender o cidadão, a sociedade civil. Essa postura é que me levou a ser subprefeito de Cidade Tiradentes, porque política pública é isso, você não pode enrolar, ou é ou não é.

 


CityPenha: O que você pretende repetir da sua gestão em Cidade Tiradentes para Ermelino Matarazzo agora?

Arthur: Sempre quis na minha gestão a prefeitura presente, então eu e minha equipe andamos muito. Dividimos a Cidade Tiradentes em 15 setores e, quinzenalmente, íamos a cada setor atender a população. Isso funcionou muito lá. O pessoal acha que o papel do administrador regional, subprefeito ou prefeito regional, é só a zeladoria e não é. Eu até cito uma canção da Banda Titãs, “Comida”, do Álbum Vagalume, compartilho dessa mensagem, porque, o prefeito regional é o vagalume da periferia, ele fica piscando, para detectar os problemas que a região apresenta e que compete ao administrador trabalhar para encontrar as soluções. Nessa produção, a música Comida, que diz “a gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte, a gente não quer só comida, a gente quer saída para qualquer parte, a gente não quer só dinheiro, a gente quer inteiro e não pela metade”, interpreto que, o povo espera uma atuação do prefeito regional por inteiro. Inteiro é você cuidar da zeladoria, do esporte, da cultura, da educação, da saúde. Quando eu faço a prefeitura itinerante, que é uma forma encontrada para descentralizar a administração e a aproximar a população junto ao órgão municipal da região, eu levo junto comigo, os técnicos e supervisores da educação, da saúde, do Conseg, (Conselho Comunitário de Segurança), da Sabesp, a Defesa Civil, a Mesa de Empreendedores, entre outros serviços, para atender a população no local onde mora. Para completar este círculo de ação – durante a minha gestão pretendo fazer o Festival Gospel, o Festival de MPB para ver os talentos do distrito. Em razão de termos muitos escritores aqui no distrito, a minha outra intenção é realizar a FLEP - Feira Literária de Ermelino Matarazzo e Ponte Rasa, uma cópia, mais ou menos da FLIP que é a Festa Literária Internacional de Paraty.

CityPenha: Essa atuação integrada valoriza a região e a relação com as pessoas.

Arthur: O papel do prefeito regional é isso! Às vezes na Cidade Tiradentes você levava um grande artista, como Jorge Aragão, Ivone Lara, MV Bill, entre outros artistas famosos, no outro dia você encontrava a população contente, um artista que você leva você levanta a autoestima da população e você não consegue quantificar isso.   O dia que levei a senhora Ruth Cardoso, para receber um prêmio de personalidade do ano, foi especial porque o pessoal nunca esperou que ela fosse. São coisas que você mexe com a população. Esse é o papel efetivo do prefeito regional, estar muito próximo do povo, vendo o sentimento desse povo e proporcionando o aumento da sua qualidade de vida. 

CityPenha: Aqui na Prefeitura de Ermelino por onde você está começando esse trabalho?

Arthur: Acho que o grande desafio hoje do distrito de Ermelino Matarazzo é o Jardim Keralux, localizado à altura do nº 7.300 da Avenida Assis Ribeiro, em área de aproximadamente 170.000,00m2, onde residem cerca de 2.200 famílias.  Ele foi constituído em uma área invadida, mas tem escola, uma UBS, feiras livres, mercados, farmácias, mas, infelizmente falta muito. Nós temos que fazer a regularização fundiária daquele bairro e para essa regularização são vários setores que precisam participar o Ministério Público, a CETESB, a Secretaria do Verde e Meio Ambiente, a Secretaria da Habitação, etc. Eu fiz uma ação itinerante, em março, no local, com mais ou menos 130 pessoas, onde tive que ouvir e tomar decisões. O que o pessoal mais me pediu foi a questão da segurança. Estamos tomando providências junta a Secretaria da Segurança/Corporação da Polícia Militar para uma solução do problema. Outro item que o pessoal pediu foi uma via de acesso que não tem. Para entrar no Keralux, o Parque Ecológico é a única via. Considerando a necessidade de atender a reivindicação dos moradores, no início de abril, solicitamos à Secretaria Municipal de Serviços e Obras a realização de um Estudo, visando à ligação da Rua Arlindo Bettio à Avenida Assis Ribeiro para melhorar o acesso dos habitantes. Eu acho que nosso papel como gestor é ter um olhar diferenciado para a população e para o distrito.

CityPenha: Essa ação está em sintonia com as propostas do Prefeito Doria?

Arthur: O Doria, que é um grande gestor, deixou bem claro para nós cinco princípios que eu sempre coloquei na minha vida que são: a descentralização, a participação, a inovação, a eficiência e a transparência. Ele deixou bem claro, “o que eu quero de vocês é isso”. Então a descentralização já estamos fazendo com a prefeitura itinerante, com as Plenárias Participativas de Plano de Metas, reuniões no Conseg, nas Entidades Sociais, nas igrejas, nos cultos evangélicos, entre outros. Em relação à inovação, estamos procurando estabelecer parceria com os empresários locais, no sentido de colaborar com a melhoria do bairro, o que antes a gente tinha vergonha de pedir. A exemplo, hoje você pede para o empresário “olha você é aqui do bairro, você não quer arrumar minha praça”? Em relação à Prefeitura Regional, vamos inovar com a implantação do Programa de Qualidade para tornar mais ágil, eficiente e profissional a prestação do serviço público ao munícipe. 

CityPenha:Isso de uma forma geral é uma quebra de paradigma por que agora não é mais uma troca de favores e sim uma colaboração?
Arthur: Exatamente e agora é com muita transparência e isso é muito legal. Acabou aquilo de que não posso pedir favor porque depois o cara vem aqui me pedir. O Doria colocou também a importância de nós estarmos seguindo os planos e metas nos cinco eixos - Desenvolvimento Econômico e Gestão; Desenvolvimento Social, Desenvolvimento Humano, Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, e Desenvolvimento Institucional, onde ele baseou as 50 metas que entregou na Câmara Municipal, e a população de Ermelino Matarazzo, se reuniu na Audiência Pública Regional, ocorrida em 08 de abril para trazer sugestões de melhorias para a região e incluí-las na versão final do Programa de Metas 2017/2020.

 


 

Voltar