FOTOS

Vida saudável:
Saúde e qualidade de vida ao nosso alcance

 

O conceito de saúde, bem estar, vida mais saudável reflete a conjuntura social, econômica, política e cultural. Ou seja, estes conceitos não representam a mesma coisa para todas as pessoas. Dependerá da época, do lugar, da classe social, dos valores individuais e também das concepções científicas, religiosas e filosóficas. 

O conceito da OMS, divulgado na Carta de Princípios de 7 de abril de 1948 (desde então o Dia Mundial da Saúde), implicando o reconhecimento do direito à saúde e da obrigação do Estado na promoção e proteção da saúde. Diz a História do Conceito de Saúde que: “Saúde é o estado do mais completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de enfermidade”. 

De acordo com esse conceito, o campo da saúde abrange: A biologia humana, que compreende a herança genética e os processos biológicos inerentes à vida, incluindo os fatores de envelhecimento; o meio ambiente, que inclui o solo, a água, o ar, a moradia, o local de trabalho; o estilo de vida, do qual resultam decisões que afetam a saúde: fumar ou deixar de fumar, beber ou não, praticar ou não exercícios.  

Promoção da saúde

A promoção da saúde, como vem sendo entendida nos últimos 20/25 anos, representa uma estratégia promissora para enfrentar os múltiplos problemas de saúde que afetam as populações humanas e seus entornos neste final de século, vindo se aprimorando de tempos em tempos. 
Contando com participantes de cerca de 38 países, principalmente do mundo industrializado, a I Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde teve como principal produto a Carta de Ottawa (WHO, 1986), que tornou-se, desde então, um termo de referência básico e fundamental no desenvolvimento das ideias de promoção da saúde em todo o mundo.

A Carta de Ottawa propõe cinco campos centrais de ação:

• Elaboração e implementação de políticas públicas saudáveis

• Criação de ambientes favoráveis à saúde

• Reforço da ação comunitária

• Desenvolvimento de habilidades pessoais

• Reorientação do sistema de saúde

Qualidade de vida

Quanto mais aprimorada a democracia, mais ampla é a noção de qualidade de vida, o grau de bem-estar da sociedade e de igual acesso a bens materiais e culturais. É uma noção eminentemente humana, que tem sido aproximada ao grau de satisfação encontrado na vida familiar, amorosa, social e ambiental e a própria estética existencial. 

Esses elementos são analisados a partir do ponto de vista da população, que é dividida por faixa de renda, escolaridade, categoria social, sexo e faixa etária. A pergunta-chave é o grau de satisfação dos cidadãos.

Alimentação saudável

O guia de alimentação e nutrição saudável tem por base o reconhecimento de que um nível ótimo de saúde depende da nutrição, onde as medidas preventivas ocupam lugar de destaque.

A proposta de uma dieta para a população brasileira tem, ainda, alguns pressupostos: o resgate dos hábitos alimentares saudáveis próprios da comida brasileira e a identificação de alimentos, ou grupo de alimentos, cujo consumo deva ser estimulado. O feijão é um destes elementos de resgate, pelo seu conteúdo em fibras, em ácido fólico e em ferro.

 


Dez passos para uma alimentação adequada

Visando a manutenção de peso saudável e a prevenção de obesidade, doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2 e osteoporose, recomendamos:

1. Consuma alimentos variados, em 4 refeições ao dia. Pular refeições não emagrece e prejudica a saúde;

2. Mantenha um peso saudável e evite ganhar peso após os 20 anos. Evite também o aumento da cintura;

3. Faça atividade física todos os dias. Inclua na sua rotina andar a pé, subir escada, jogar bola, dançar, passear e outras atividades;

4. Coma arroz e feijão todos os dias acompanhados de legumes e vegetais folhosos;

5. Coma 4 a 5 porções de frutas, todos os dias, na forma natural;

6. Reduza o açúcar. Evite tomar refrigerantes.

7. Para lanches coma frutas ao invés de biscoitos, bolos e salgadinhos;

8. Coma pouco sal. Evite alimentos enlatados e embutidos que contêm muito sal. Evite adicionar sal à comida já preparada;

9. Use azeite em vez de óleo no preparo de refeições;

10. Tome leite e coma produtos lácteos com baixo teor de gordura, pelo menos 3 vezes por dia.

Espiritualidade e religião

A influência da religiosidade/espiritualidade tem demonstrado potencial impacto sobre a saúde física, historicamente tem sido ponto de satisfação e conforto para momentos diversos da vida, 

Durante o seguimento, os pacientes com práticas religiosas frequentes interrompem o tabagismo, adotam atividade físicas regulares, aumentam suporte social e mantem seu estado matrimonial.

O desenvolvimento de conceituações de virtudes religiosas, perdão, altruísmo, esperança, prece e voluntarismo, apesar de soar operacional ou métrico, pode definir a nova direção para conduzir estudos de avaliação para boa saúde.

Atividade Física 
Uma tendência dominante estabelece uma relação entre a prática da atividade física e a conduta saudável. 

Segundo estudiosos, traz a diminuição da gordura corporal, o incremento da força e da massa muscular, da densidade óssea e da flexibilidade. E, na dimensão psicológica, afirmam que a atividade física atua na melhoria da autoestima, do auto conceito da imagem corporal, das funções cognitivas e de socialização, na diminuição do estresse e da ansiedade e na diminuição do consumo de medicamentos. 

Atividade Cultural

Identifica-se com as condições de qualidade de vida o inter-relacionamento com os ideais de desenvolvimento sustentável, ecologia humana, remetendo a uma relatividade cultural, pois se trata de uma construção social, com parâmetros subjetivos (bem-estar, felicidade, amor, prazer, inserção social, liberdade, solidariedade, espiritualidade, realização pessoal) e objetivos (satisfação das necessidades básicas e das necessidades criadas pelo grau de desenvolvimento econômico e social de determinada sociedade: alimentação, acesso à água potável, habitação, trabalho, educação, saúde e lazer) se interagem dentro da cultura para constituir a noção contemporânea de qualidade de vida. 

Desenvolvimento emocional 

É possível viver uma vida longa e saudável aprendendo a gerenciar os pensamentos, emoções e ativando os sentimentos positivos.
Esse movimento em prol da saúde física tem se mostrado fundamental para o bem estar e a longevidade das pessoas, proporcionando diversos benefícios a curto, médio e longo prazo.

Não temos o hábito de prestar atenção em nossos sentimentos. Às vezes, diante de uma situação de dificuldade, até percebemos uma sensação de mal estar, mas na maioria das vezes, não identificamos se é raiva, irritação, tristeza, ou tudo isso misturado. Reagimos diante da dificuldade sem nos darmos conta de como estamos nos sentindo. 

Cuidar da saúde emocional é tão importante quanto cuidar do nosso corpo, afinal, não somos divididos em partes, somos seres integrados. Nosso físico e nosso emocional estão conectados. Tudo despertam sentimentos que podem ser de alegria, tristeza, medo e outros. Uma forma de cuidar das emoções pode ser fazendo uma leitura reflexiva, assistindo um filme com tema de superação, ou documentário que tenha uma mensagem positiva.

Assim, podemos fazer escolhas a favor de uma harmonia emocional.

Os sentimentos levam ao surgimento de pensamentos que frequentemente estão em sintonia com esses sentimentos. É comum as pessoas viverem de forma automática e nem se darem conta de seus pensamentos. E assim, silenciosamente vão alimentando os desconfortos emocionais. 

Com os sentimentos de gratidão, positividade, desapego, perdão, buscando relacionamentos saudáveis, teremos nosso caminho uma trajetória de sucesso, felicidade e muita saúde.

 

Por Cida Lopes • Gestora/Produtora de Eventos/Docente – MBA em Hospitalidade •  cida.aparecida.lopes@gmail.com


 

Voltar