FOTOS

Vida Oculta

 

Acordei num ambiente escuro sem nenhuma esperança de vida. Não tinha amigos e com o passar do tempo, foram surgindo alguns estranhos. Não falavam nada com nada. Ficavam nadando de um lado para outro e eu, quieto no meu canto ficava assistindo aquela evolução de animais estranhos, até que num certo momento, apareceu um manda chuva e gritou:

"Vamos colocar ordem nesse galinheiro... Aqui, todos fazem o que bem querem e a coisa não é bem assim. Vamos formar pelotões como se fosse o exército. Formaremos pelotões de sessenta e quatro de vocês. Com essa quantidade temos condições de formar no mínimo cem pelotões e cada um terá um líder que vai organizar a saída de cada um.
Eu não quero ver e nem ouvir reclamações. Para quem não sabe, isto é um quartel. Dependendo da minha ordem, vários agrupamentos saem, porém, somente um vai ser o privilegiado.

Terá uma alimentação diferenciada, mas para isso vocês devem fazer exercícios todos dias: marchar com suas armas para não serem atacados por inimigos.

Temos um centro de controle de operações que não é bagunçado como vocês pensam.

 


Cada pelotão sai de cada vez e, se tiver muita sorte não voltará mais para o quartel. Será adotado por uma família, todavia, terá que cumprir as ordens aqui aprendidas, ser obediente, manter seus estudos e ser solidário com os mais velhos, com respeito e educação. Você não mais se sentirá como um preso, será livre, conhecerá outros amigos, terá uma família que vai lhe adotar e com seu aprendizado adquirido aqui no quartel vai ter muita tranquilidade.

Porém, não esqueça: o mais importante é o respeito, o amor e cumprir as ordens emanadas pelos seus tutores como aqui na caserna.

Vocês só precisam aprender as fases da lua, sentir o cheiro diferente de uma flor avermelhada e treinar durante um mês, sem parar atravessando rios e florestas. Tudo isso no braço, a peito aberto.

O caminho é longo. Não esqueçam: são um pelotão de sessenta e quatro homens e mulheres em busca de uma oportunidade para sair deste inferno escuro. Uma coisa é bem certa: vocês estão acostumados a viver na escuridão e como lhes falei, sentir o perfume do botão vermelho é o caminho.

Havendo desistência, outros irão ganhar a corrida e vocês não voltarão mais para o quartel. A chance foi eliminada”.

Esta crônica é interessante porque falo de uma vida que se aproxima da natureza. Ela está oculta à espera de uma oportunidade, para ter seu tutor, seu professor. Será perfeito na lei de Deus.

Estou dando um exemplo como se vem ao mundo através de um esperma que chamo de soldado do exército. O perfume será o sangue do óvulo na fase da Lua quando chega o dia da libertação desses botões da vida, e se ela estiver em um período fértil e o esperma chegar forte como um grande nadador, terá a chance de penetrar neste botão vermelho possibilitando a chama de vida.

 

 

Por Gildásio Paixão – Empresário Penhense, proprietário da Ultrasom Car Desing - Revisão do texto: Prof e diretor aposentado Darbi José


 

Voltar