FOTOS

Dia da Sogra

 

No dia 28 de abril é o Dia da Sogra. A data é comemorada todos os anos no Brasil, e muita gente nem se lembra dessa pessoa que é tão importante na vida delas. 

Ao longo do ciclo vital familiar, a mulher desempenha e acumula diferentes papéis: passa de esposa para mãe, de mãe para sogra, e de sogra para avó. Assim, a mulher que, enquanto esposa e mãe, cumpre um papel central na organização familiar, no cuidado e no vínculo com os filhos, ao tornar-se sogra, passa a vivenciar um papel delicado e complexo. 

Se como mãe é valorizada, como sogra pode tornar-se alvo de críticas e de sentimentos ambivalentes. Isso revela como os diferentes papéis familiares exercidos pela mesma mulher, em momentos distintos de sua vida, criam interações emocionais diversas. A entrada da figura da nora introduz uma mudança de papéis na família. A aproximação entre essas duas mulheres – a nora e a sogra - ocorre a partir de uma relação de parentesco obrigatório e não escolhido, na qual nem sempre existe empatia. Com frequência, se estabelece uma competição entre ambas, enquanto mulher, esposa, mãe e administradora da casa. 

É possível predizer o confronto certo quando alguns ingredientes estão presentes como:

Marido passivo e esquivo de lidar com conflitos; Esposa dominadora e/ou possessiva; Mãe do marido controladora, competitiva e invejosa do lugar ocupado pela nora.

Quando o filho se omite, a situação fica mais difícil. A tendência do homem é ficar neutro, sair do meio da briga. Mas é importante que ele se posicione, segure a onda, ajude a colocar panos quentes na situação. 

A relação genro e sogra sempre foram um prato cheio para a comédia, brincadeiras e piadas. Uma espécie de relação de “amor e ódio” entre genros e sogras. Talvez aí esteja o motivo dessa complicada relação e o fato da data passar quase sempre em branco.

 


Por que sogras têm má fama?

Segundo os psicólogos, o mito da sogra má é resultado de inúmeras experiências através das gerações, que acabaram formando um “arquétipo” (uma imagem pré-concebida de algo) no qual prevalecem os aspectos negativos.

O resultado é que as sogras são obrigadas a conviver com más referências, expressões pejorativas e uma infinidade de piadas, como no nome do doce olho-de-sogra (cujo nome original era olho-de-cobra) e do brinquedo língua-de-sogra (que, além de ser “linguarudo”, provoca um som estridente).

Perante a lei, não se fala em ex-sogra, ex-sogro, ex-nora e ex-genro, pois esse vínculo permanecerá para sempre.
O casamento ou união estável pode terminar, mas o parentesco com sogra/sogro permanecerá enquanto eles e a nora/genro estiverem vivos.

 Então, este parentesco será até que a morte o separe, porque em vida, a separação nunca acontecerá. 

Independente de ser odiada ou amada, a sogra tem uma série de direitos previstos por lei e que muitos desconhecem. Um deles está diretamente relacionado ao dever dos filhos de cuidar dos pais. Segundo advogados, elas podem pedir na Justiça auxílios como pensão alimentícia. A partir do momento em que duas pessoas se unem legalmente, as exigências passam a recair sobre o casal, então a sogra pode requisitar dos dois, e não mais só do filho ou da filha, os deveres básicos que todos os filhos têm com seus pais.

Se as sogras forem também avós, elas podem entrar com pedido de guarda dos netos em algumas situações. No caso de a criança estar sendo maltratada pelos pais ou eles não terem condições de criá-la, a avó pode pedir a guarda, com grandes chances de ganhar. 

Como conviver bem com sua sogra

Duas mulheres com origens, criações, idades e objetivos de vida diferentes, com apenas algo em comum: o amor pelo mesmo homem. Talvez, resumidamente, esta seja a origem de todos os problemas de relacionamento entre sogras e noras. 

Um verdadeiro tabu para muitos casais, uma fonte de discórdia para outros, uma fama que atravessa tempos, embora existam exceções.

Na verdade, é possível conviver pacificamente, basta ter cuidado e muita paciência, lembre-se que antes de ser marido, ele era filho e, muitas vezes, bem paparicado, por isso, o melhor é evitar confusão e não criar conflito com a mãe de seu marido.

Temos que sempre lembrar que opiniões não são críticas, não tome tudo como ofensivo; legitime o papel de mãe do seu parceiro, ela não é uma inimiga, portanto, facilite o caminho deles quando precisarem permanecer a sós.
Jamais coloque condições do tipo “ou eu ou sua mãe”. Além de ser um pedido irreal poderá criar uma rachadura na admiração que ele tem por você; bom senso é bom senso, vindo de que fonte vier.

Faça seu marido entender que a relação mãe e filho fatalmente mudarão quando ele se comprometer seriamente na relação.

Dê a ela de presente o livro “Mães que amam demais” 

Pontos positivos • Lembre-se: ninguém é perfeito, nem mesmo você! Dê mais peso aos pontos positivos da sua sogra, no mínimo, saiu dela a pessoa que você mais ama. Procure qualidades para admirar e as destaque sempre que puder, claro, sem parecer falso.

Fique neutra • Procure nunca tomar partido ou se envolver nas discussões dela com seu marido, ao tomar esse ou aquele partido, depois os dois se entendem e você é que ficará mal com um ou outro. Procure sempre acalmar a situação, escute mais e fale menos e, principalmente, procure não julgar.

Evite as Ofensas • Que atire a primeira pedra quem não tem histórias boas e ruins com a própria família de origem, portanto, ofender a família do marido não traz benefício algum, muito pelo contrário, poderá abrir feridas e dar início a uma guerra sem fim. 

Nada de Queixas • Nunca caia no erro de se queixar do filho para a sua sogra, e quando ela falar alguma coisa ruim dele, jamais concorde, ela sempre tomará partido do filho e de seus atos, até porque a educação veio dela, ao criticá-lo ela se sente criticada também.

Sem Brigas • Procure ter uma relação pacífica, seja política e compreensiva, mesmo até que isso signifique engolir alguns sapos de vez em quando, a guerra nunca leva a nada, acaba fazendo mal para todo mundo. Tenha uma relação saudável. Guerra fere todo mundo, principalmente os mais fracos.

Sem mal entendidos • Se certifique que nunca fique um mal entendido entre você e sua sogra, se for preciso repita alguma frase que possa ter sido mal interpretada, a mesma coisa em relação ao que ela diz.

Não se subjugue • Por mais que tenha que respeitá-la e até esteja tentando uma aproximação, jamais se subjugue, procure sempre olhar nos olhos, quando conversar, procure ficar na mesma altura dos olhos dela, demonstrando que estão falando de igual para igual.

Grande amiga • Acredite, embora possa parecer até impossível, existem muitas histórias de amizades entre sogras e noras, comece cedendo um pouquinho aqui, mais um pouquinho ali, com o tempo, esse gelo acaba quebrando e ambas podem ganhar uma grande amiga.

Independente de qual seja a relação que você tenha com a sua sogra, que tal admitir pelo menos um dia a importância dessa mulher que gerou aquela pessoa que você tanto ama e dar uns parabéns a ela? 

Portanto, não há desculpas para não parabenizá-la e dar um abraço apertado, ou até mesmo um presentinho. Mas, o mais importante é cultivar um bom relacionamento.

Feliz aquele que consegue lidar bem com as diferenças, respeitando sempre o jeito de ser do outro e suas limitações. Tal grau de maturidade de compreensão do outro nos possibilita entender, tolerar e relevar certas atitudes.

Queiram ou não, sogra é parente para sempre!

 

Por Cida Lopes • Gestora/Produtora de Eventos/Docente – MBA em Hospitalidade •  cida.aparecida.lopes@gmail.com


 

Voltar