FOTOS

Márcio Massao Shimomoto

Novo presidente da AESCON/SESCON SP

 

O atual presidente da Organização King de Contabilidade assumiu a presidência do SESCON e da AESCON, entidades que representam as Empresas de Serviços Contábeis, Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Estado de São Paulo. Fomos conversar com ele sobre as difíceis questões da carga tributária e como isso afeta a vida de todos, empresários e consumidores.

CityPenha: Na sua visão como a burocracia atrapalha a vida das empresas brasileiras e como isso reflete para os consumidores?

Márcio Shimomoto: A burocracia afeta principalmente o chamado Custo Brasil, que significa o custo de empreender no Brasil. Segundo alguns estudos, as empresas trabalham em média 2600 horas por ano para cumprir com as obrigações acessórias tributária, o que significa que para os consumidores de uma forma geral eleva o preço de tudo aquilo que é consumido por eles, desde a escola, saúde, remédios, cesta básica, etc.

Além de impactar os preços dos produtos e serviços consumidos no país, ele afeta sobremaneira a forma e o tempo dos serviços públicos, como por exemplo, a demora no atendimento nos hospitais, repartições públicas, reparação de vias públicas, etc.

O excesso de burocracia também é responsável de parte de corrupção no país. Todos sabemos que quanto maior a burocracia, fica mais difícil utilizar os serviços e atender as legislações o que gera a venda de facilidades.

CityPenha: A alta carga tributária afeta as empresas, que são assessoradas pelos contadores, mas também dificulta a vida de todas as pessoas. O brasileiro já tem consciência dessa questão?

Márcio: Sim, cada vez mais a população toma consciência dessa questão. Com a globalização e a quantidade de informações que temos de outros países os brasileiros começam a comparar os produtos vendidos aqui com os produtos vendidos no exterior e eles começam a tomar consciência da diferença de preço, onde a maior parte são tributos e a burocracia envolvida no preço final do produto.

 


CityPenha: O que o SESCON, enquanto representante das empresas de contabilidade, pode e tem feito para ajudar a minimizar o impacto de tudo isso para a sociedade?

Márcio: O SESCON SP mantém relacionamento próximo tanto dos órgãos públicos como das entidades que representam o setor produtivo e do empreendedorismo no Brasil. 


Como no Brasil os contadores estão envolvidos na operacionalização de toda a burocracia exigida dos empreendedores pelos poderes públicos toma conhecimento das dificuldades para cumprir as exigências burocráticas e tributárias, dessa forma, tem agido em três frentes para ajudar a toda a sociedade brasileira.

Na primeira frente nos aproximamos dos poderes públicos tanto federais como estaduais e municipais para dar sugestões para melhorar o ambiente empreendedor minimizando a burocracia excessiva e muitas vezes até nos posicionando contra medidas que atrapalhem a vida de seus representados através de medidas judiciais.

Numa segunda frente nos aproximamos também de entidades representativas dos setores produtivos como a FIESP, CIESP, ACSP, OAB, ABCFARMA, Sindicatos e Associações para levar informações e alertas para os empreendedores das ações necessárias para cumprir as obrigações, muitas vezes também juntados forças com essas entidades para lutarmos por um melhor ambiente de negócios.

Numa terceira frente promovemos muitas palestras, seminários, debates, congressos para todos os nossos representados oferecendo serviços e soluções para melhorar a produtividade e o custo para as empresas para que elas exerçam as suas atividades de uma forma mais segura. 

CityPenha: Abril é o mês de entrega da declaração de Imposto de Renda das Pessoas Físicas. Com as mudanças de regras e a correção pífia da tabela, qual sua recomendação para as pessoas com relação a declaração?
Márcio: Não houve grandes mudanças nas regras do IRPF para esse ano. As recomendações é que procurem preparar a sua declaração antecipadamente, separe todas as documentações necessárias. Uma das mudanças foi a redução da idade para os dependentes obrigatoriamente informar o CPF na declaração, procure tirar o CPF rapidamente para os dependentes que tenham mais de 14 anos.

O programa da Receita Federal tem se tornado muito intuitivo recentemente e muitos podem preparar sozinho a sua declaração, entretanto, se houver a necessidade de ajuda procure sempre um contador de confiança para auxiliá-lo nessa tarefa, dessa forma, você tem a garantia de que se alguma coisa for inconsistente o contribuinte terá uma garantia e auxilio para resolver o problema. Segundo dados da Receita Federal, cerca de 263.000 declarações de Imposto de Renda de Pessoas Físicas foram autuadas, vale a pena procurar a ajuda de um especialista.
Recomento que consulte o nosso sitio na internet no endereço www.sescon.org.br e procure um associado de nossa entidade.

CityPenha: Alguma mensagem de esperança para os leitores da CityPenha.

Márcio: O Brasil passa por um momento de crise. Mas para toda a crise temos o lado do perigo e outro da oportunidade. Devemos sempre pensar na oportunidade. É na crise que crescemos e nos aperfeiçoamos. Pense sempre grande e mantenha a mente aberta às oportunidades que certamente você as enxergará. O Brasil ainda é o melhor país do mundo para viver, não temos terremotos, tsunami, maremotos, furacões, guerra e guerrilhas, temos um povo alegre, criativo, pacífico, terra fértil, água em abundância. A nossa crise é de confiança e assim que adquirirmos de novo a confiança certamente as características positivas do nosso povo recuperará o país e voltaremos a crescer.


 

Voltar