FOTOS

Deixe a felicidade bater em sua porta

 

Quero aproveitar esse momento e fazer um agradecimento aos meus pais que com sabedoria, ensinaram-me a conhecer, marés, nomes de estrelas, fases da Lua, posição do vento e até cantos dos peixes quando estão em grandes cardumes.

Com minha falecida mãe, aprendi adubar a terra, plantar lindas flores guardar sementes maduras e florir o campo. Em caso de viagem, quando fosse presentear uma amiga, com uma linda rosa, precisava cultivá-la com sabedoria, tinha que sacrificar alguns botões para que a seiva fosse diretamente absorvida por aquela rosa e não distribuídas com outros botões. Essa rosa seria especial, iria bater na casa de uma pessoa especial e lhe trazer algo muito especial, a felicidade que plantei com todo meu amor.

Felicidade para mim tem um significado, para muitos tem outro. Tive uma experiência incrível no dia 31 de dezembro deste ano 2015. Fechei meu comércio e me dirigi ao Clube Esportivo, meio cabisbaixo na certeza que não encontraria nenhum amigo do meu círculo de amizade. Como sempre, levei um livro. Vou ler um pouco tomar alguma coisa e esperar o horário de fechar, 16h. Minha luz ficou tão radiante, quando vi numa mesa, oito amigos top ten. Minha alegria foi tamanha que parecia uma criança que acabara de receber um pirulito de algum parente. Batia palmas, abracei todos, beijei seus rostos, agradecendo a todos por estarmos, juntos, comemorando a felicidade. Naquele dia ela não bateu em minha porta...  Eu a encontrei.

Tem pessoas que precisam de muito, como carros, joias, viagens, para gritar para o mundo que é feliz... Somos egoístas, Cristo era feliz e não tinha onde dormir, nem mesmo onde repousar sua cabeça.

 


Não precisamos de muitas coisas para que nossos corações batam mais forte até encontrar essa palavra chamada felicidade. No meu tempo de criança, com meus seis a oito anos, minha felicidade era ver um botão de rosa se abrir com suas pétalas vermelhas parecida com uma taça de um bom vinho tinto na taça de cristal.

Não precisamos de tanto para ser feliz, olhe uma criança pobre e quando alguém bate em sua porta com um simples carrinho ou uma boneca de pano, você ganha um sorriso que não tem tamanho, um sorriso que dá gosto de ver. Muito diferente de uma criança rica.

Preste atenção em uma brincadeira de um amigo secreto, quando alguém recebe presente milionário beija seu amigo com uma falsidade igual a de Judas quando beijou Cristo, se recebe algo simples sua feição muda e corre para o banheiro retocar sua maquiagem de tanta raiva. Porque somos tão egoístas, falsos com as pessoas que amamos?

Na minha infância existia aquela jardineira/ônibus com frente de caminhão que nos levava estrada a fora. Minha diversão era encher um bornal de sementes e correr de um lado para outro, jogando sementes de felicidade. Quem sabe um dia iria colher flores nas estradas e colorir a vida com minha felicidade.

Conheço um padre na Penha que só de você se aproximar dele a luz emanada por ele lhe traz uma felicidade grande. Ele nem precisou bater em sua porta, ela já entrou em seu coração. Se você tiver a sorte de ganhar um abraço então, é uma gratidão. Esse padre chama-se Ataíde... É meu grande amigo. Tenho muito carinho e respeito por ele.

Você não ganhou carrões e nem joias, ganhou amor espiritual. Isso é felicidade. Hoje você não vê mais ninguém ao seu lado, no ponto de ônibus, metrô, restaurantes, cinemas... Estão todos ligados na tal de internet.

Hoje temos até uma nova doença que os médicos chamam de doença da cabeça baixa. Você já prestou atenção quando vê crianças em uma creche brincando? Todas estão felizes, unidas em um único amor: a felicidade. Penélope, a grande Rainha de Troia, desembaraçava um grande novelo de lã para tecer um belo casaco para seu esposo quando ele voltasse da guerra. Para ela era uma grande felicidade revê-lo. Camões, mesmo na guerra, escrevia contos e poemas enquanto estava repousando. Homero escrevia, em suas folgas... E todos eram felizes. Alexandre, o Grande, conquistou o mundo, e em seus últimos dias falou com seus orientadores e sábios: conquistei o mundo, e daí? Sem nada vim e sem nada estou indo embora. Só existe um ser superior que cura, portanto quero minhas mãos para fora do caixão para provar que nada estou levando.

Deixe a felicidade bater em sua porta, mesmo que seja a visita de um amigo.

Agradeço a todos os meus amigos.

 

Por Gildásio Paixão – Empresário Penhense, proprietário da Ultrasom Car Desing - Revisão do texto: Prof e diretor aposentado Darbi José


 

Voltar