FOTOS

Tratamentos estéticos no verão?
Saiba quais procedimentos podem ser realizados nessa época do ano

Dermatologista explica os cuidados e os perigos de cada tratamento de pele

 

Finalmente o verão chegou! E para muitos que desejam realizar tratamentos para deixar o corpo e a pele bonitos e saudáveis, é uma época proibida para recorrer a procedimentos estéticos já que não são todos os tratamentos que são recomendados para a estação. Para esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto, o Dermatologista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Dr. Rodrigo Motta, explica quais as opções que podem ser realizadas e quais devemos evitar durante os dias mais quentes do ano.

Devido a alta exposição solar tradicional da época, a epiderme pode ficar naturalmente sensível e dependendo do tratamento, a pele fica ainda mais fragilizada, ocasionando a médio e longo prazo rugas e manchas. De acordo com o médico, a toxina botulínica é uma das melhores opções para ser realizada no verão, “Ela é um exemplo de procedimento que não agride a epiderme, portanto não a torna mais suscetível à exposição solar do que o habitual”. O especialista esclarece, “existem outros procedimentos que também podem ser efetuados, como o preenchimento com acido hialurônico, radiofrequência, carboxiterapia, luz infravermelha e até mesmo alguns peelings bem leves e muito superficiais, desde que sejam tomados os cuidados necessários pós intervenção estética”.

O Dr. Rodrigo Motta explica que é preciso ficar atento a procedimentos que utilizem laser fracionado, como alguns tipos de peelings médios e mais agressivos, “Eles devem ser evitados no verão, especialmente por pessoas que vão se expor ao sol e possuem fototipos mais altos, como peles mais morenas”. Porém estes procedimentos podem ser realizados em pacientes selecionados com um determinado fototipo de pele mais baixo com peles mais claras, e que não vão se expor ao sol. É muito importante que os pacientes conversem com seus médicos e passem por uma avaliação, pois esses procedimentos agridem a camada superficial da pele, deixando-a mais sensível, desprotegida e exposta.

O dermatologista do Hospital e Maternidade São Cristóvão lembra que procedimentos como, peelings mais agressivos, luz pulsada, remoção de pintas estéticas, cirurgias estéticas, escleroterapia para tratar varizes, tatuagens, depilação definitiva devem ser evitados no verão e ser preferidos no inverno, “para esses tratamentos o risco de surgir manchas e cicatrizes ou outras complicações é maior se relacionados a exposição solar”, finaliza. 

 


 

Voltar