FOTOS

A fé em São Judas Tadeu e a crise

 

Sabemos muito bem o quanto a inflação mudou os hábitos de consumo dos brasileiros, não tem como irmos ao supermercado e não nos assustarmos com a subida de itens de primeira necessidade. 

Na lista dos gastos da família e gastos pessoais são inúmeras as contas e compromissos, estando tudo tão caro. Tem o aluguel, o combustível do carro, supermercado, água, luz, escola para os filhos, faculdade, afinal uma lista sem fim. 

Começa o desespero: Com este panorama já estamos deixando de pagar contas importantes, como seguro do carro, colégio das crianças, condomínio, deixando de comprar produtos necessários para nossa família, pois tentamos tapar o buraco dos juros de empréstimos ou compromissos financeiros, dos juros sobre juros, das multas e outras cobranças derivadas do crédito que já tenha feito para cobrir algum rombo.

Temos a impressão que se continuarmos cedendo, aceitando renegociações e pagando mais juros e encargos sobre as dívidas, os meses e anos passarão e será gasto uma fortuna, talvez tenha que vender o carro e a casa, destruindo o patrimônio conquistado ao longo de anos de esforço.

Por mais que a situação pareça difícil, e que não consigamos ver uma saída, o grande problema é que em geral as opções disponíveis exigem um esforço pessoal que talvez não estejamos preparados para fazer ou sentir que já fizemos o nosso máximo.

Realmente é difícil acreditar que existe alguma saída quando está sendo pressionado pelos credores, e não consegue em nenhum momento parar de pensar no dinheiro que gostaria de ter, mas não o possui. A maioria das pessoas tende a pensar que estão sozinhos, e que ninguém entende pelo que estão passando.

 

Não se desespere! Você tem a Fé: Parte da solução da situação de endividamento é ter fé. FÉ com letras maiúsculas. Fé de verdade, acreditar que, com perseverança e trabalho, todos os problemas podem ser solucionados. Mas como?

Diante dos desafios financeiros, as pessoas que tem a responsabilidade de sustentarem muitas vezes famílias grandes ou compromissos financeiros inadiáveis, apegam-se à providência divina. Acreditam que “A fé e o amor a Deus nos fazem superar quaisquer problemas e dificuldades. Restam-nos rezar também ao São Judas Tadeu, que é invocado como o santo dos desesperados e aflitos, o santo das causas sem solução e das causas perdidas, para que cuide das nossas situações enlouquecedoras e sem saídas em todos os momentos das nossas vidas”. Dizem seus devotos com todo o fervor.

Vamos entender de onde vem toda essa crença, devoção e fervor a São Judas Tadeu:

O Apóstolo cujo nome lembra o de Judas Iscariotes, o traidor de Jesus, teve sua devoção esquecida durante muitos séculos por conta desta confusão. 

Mas a Providência Divina se manifestou no momento oportuno, para exaltar as suas qualidades e notável humildade, transformando-o no querido e poderoso Santo intercessor das “causas impossíveis”, que consegue junto ao Criador as graças necessárias, em benefício de todos aqueles que buscam e procuram o seu inestimável auxílio.

A Bíblia trata pouco de São Judas Tadeu. Ela aponta, no entanto, um fato muito importante: ele foi escolhido a dedo, por Jesus, para ser um dos apóstolos. Quando os evangelhos nomeiam os doze discípulos escolhidos, sempre aparecem os nomes Judas ou Tadeu na relação dos apóstolos.

 

O nome de Judas aparece também nos Atos dos Apóstolos (At 1,13). Além dessas citações, seu sobrinho São João Evangelista (Jó 14,22) o nomeia entre os participantes do colégio apostólico que estavam no episódio da Santa Ceia, na quinta-feira santa.

Foi nesta oportunidade que, quando Jesus confidenciava aos apóstolos as maravilhas do amor do Pai e lhes garantia especial manifestação de si próprio, que São Judas Tadeu não se conteve e perguntou: “Mestre, por que razão hás de manifestar-te só a nós e não ao mundo?” E foi, então, que Jesus lhe respondeu afirmando que haveria manifestações d’Ele a todos os que guardassem sua palavra e permanecessem fiéis a seu amor.

Com este fato da Última Ceia, São Judas Tadeu demonstrando sua generosa compaixão para com todos os homens, começando sua pregação e o testemunho de São Judas Tadeu, que era realizada de modo enérgico e vigoroso, atraindo e cativando os pagãos e povos de outras religiões que, então, se converteram em grande número ao cristianismo.

São Judas Tadeu e São Simão foram presos e levados ao templo do sol. Ali se recusaram a renegar a Jesus Cristo e prestar culto à deusa Diana.

Com essa recusa gerou uma revolta e São Judas Tadeu foi trucidado por sacerdotes pagãos de modo cruel, violento e desumano.

Apóstolo e mártir, São Judas Tadeu é representado em suas imagens segurando um livro, que simboliza a palavra de Deus que ele anunciou, e uma alabarda, uma espécie de machado, que foi o instrumento utilizado em seu martírio.

Suas relíquias atualmente são veneradas na Basílica de São Pedro, em Roma. Sua festa litúrgica é celebrada em 28 de outubro, provável data de seu martírio acontecido no ano 70.

Devoção a São Judas Tadeu

No Brasil, a devoção a São Judas Tadeu é relativamente recente. Ela surgiu no início do século XX, alcançando logo uma grande popularidade. 

A devoção a São Judas Tadeu nasceu aqui, na cidade de São Paulo, e espalhou-se pelo Brasil afora. Aconteceu no Jabaquara um fenômeno impressionante: sem aparição, a devoção a São Judas Tadeu passou a crescer e o próprio povo fez do Santo um intercessor amigo e confiável para levar a Deus os pedidos mais urgentes e difíceis. Foi o próprio povo que deu a São Judas Tadeu o título de “O Santo dos desesperados”, expressão de devoção e confiança. 

Segundo o Santuário de São Judas Tadeu, na cidade de São Paulo a primeira festa para o Santo Padroeiro foi celebrada no dia 28 de outubro de 1940. Com o apoio da comunidade e o incentivo do primeiro pároco, já no ano seguinte, ela passou a acontecer no dia 28 de cada mês. A Paróquia/Santuário de São Judas Tadeu, recebe todos os meses, no dia 28, cerca de 60 mil de devotos.

Mas é em outubro a grande festa de São Judas Tadeu, quando a concentração de fiéis explode no Jabaquara.

Mais de 250 mil pessoas visitam o Santuário neste dia. É uma festa essencialmente religiosa em que os devotos vêm pedir e agradecer ao Santo de sua devoção. Para acolher a tantos que chegam, o Santuário prepara-se com bastante antecedência. Além dos padres, irmãos e funcionários da paróquia, cerca de 700 voluntários estão presentes com sua dedicação.

Para o povo é a festa de seu Santo Milagroso, o Santo das Causas Impossíveis, o poderoso intercessor, amigo, apóstolo e parente de Jesus Cristo, nosso Salvador.

Vemos nas missas e na procissão feita no dia 28 de outubro pelo bairro, grande número de fiéis com carteiras profissionais erguidas, e em seus rostos estampados a confiança da benção dessas carteiras, dos pedidos de empregos e a soluções para toda essa crise nas mãos de São Judas Tadeu.

O aumento desta devoção em todo o Brasil esta claro, com a frequência não apenas nos dias 28, mas diariamente numa só voz:

São Judas Tadeu rogai por nós que recorremos a vós para superar essa crise.

 

Por Cida Lopes • Gestora/Produtora de Eventos/Docente – MBA em Hospitalidade •  cida.aparecida.lopes@gmail.com


 

Voltar