FOTOS

Explosão a caixa eletrônico é tema de discussão na Assembleia Legislativa


Deputado Coronel Camilo reuniu policiais e especialistas em segurança na Assembleia Legislativa, para propor ideias que possam combater esse crime. Os resultados podem gerar projetos de lei ou sugestões ao governo

 

Os casos de estouros a caixas eletrônicos foram debatidos no dia 24 de setembro, durante uma Audiência Pública na Assembleia Legislativa. A discussão, às 10h, foi proposta pelo Deputado Estadual Coronel Camilo, Coordenador da Frente Parlamentar de Segurança Pública, que sediou a audiência. Participaram do encontro a Federação Brasileira dos Bancos (FEBRABAN), Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos a Bancos, do DEIC, representantes da Polícia Militar e especialistas no assunto.

“O nosso objetivo é ouvir autoridades em segurança e transformar ideias apresentadas nesta reunião em proposições que possam ser aplicadas na Assembleia”, explica Coronel Camilo. Segundo ele, esse tipo de ocorrência tem causado uma forte sensação de insegurança na população de São Paulo. “Além de perdas patrimoniais no entorno, as ações colocam inocentes em risco até pelo uso recorrente de explosivos e armas longas pelos criminosos”, completa. Só na PM, há dois policiais feridos gravemente ao combater esse delito, um deles, segue internado.


De acordo com o Diretor de Negócios e Operações da FEBRABAN, Leandro Vilain, os bandidos estão usando armamento de grosso calibre, o que para ele, “dificulta um pouco” a parte de enfrentamento. “E é por isso que a gente acredita muito nessa parte de investigação e realmente em perseguir, não no momento do crime, mas posterior ao crime ou na investigação preventiva’, pondera.

O Coordenador Operacional da PM, Coronel Gilberto Tardochi, cita que os casos, apesar de assustadores, estão em queda se comparados entre o 1º semestre de 2014 com o 1º semestre de 2015. “Tivemos uma redução de 27% neste tipo de ocorrência”, comenta. Tardochi afirma, ainda, que nos primeiros seis meses deste ano, a PM atendeu 51 ocorrências assim e deteve 68 criminosos. “Apesar de os criminosos usarem armas mais pesadas, a PM é bem mais treinada e está preparada para atuar em casos desta natureza”, ressalta.

O delegado Fábio Pinheiro Lopes conta que a Delegacia de Roubo a Bancos já desarticulou neste ano diversas quadrilhas que atuavam, especialmente, na zona sul. “Tem outra quadrilha que age na zona sul que está sendo mapeada. Prendemos um individuo e temos mais três identificados. A nossa parte está sendo feita.” 

Para falar do tema participaram também os deputados Coronel Telhada e Welson Gasparini, o  ex-Secretário Nacional de Segurança Pública, Coronel José Vicente e Túlio Kahn, pesquisador e sociólogo. Vicente destaca que os delitos de explosão a caixas podem afetar casas no entorno e causa pânico, além de levar, em média, dois minutos para serem realizados, o que acaba sendo atraente para os bandos. “É necessário criar dificuldades para isso”.

Coronel Camilo diz que outras reuniões devem ocorrer nos próximos meses. “Estamos no caminho certo. É importante que todos sentem e conversem com a finalidade de mudar esse cenário e propor soluções rápidas”, finaliza. Todos podem colaborar com sugestões sobre este tema, que podem ser encaminhadas para o e-mail: contato@coronelcamilo.com.br.

 


 

Voltar