FOTOS

Como aumentar a aposentadoria? 
O que é desaposentação?


Inúmeros são os aposentados que desejam um aumento na renda de aposentadoria e atualmente é possível aumentar sim desde que seja realizado um cálculo através de uma minuciosa análise da Carta de Concessão de Aposentadoria, Cópia do Processo Administrativo e no CNIS remuneração do aposentado do INSS 

No dia 20 de agosto, às 20h, na Assembléia Legislativa de São Paulo, aconteceu o lançamento do meu livro “Revisão dos Benefícios Previdenciários: Teoria e Prática”, escrito em parceria com o Prof. Wladimir Novaes Martinez, inclusive o criador da Fórmula 85/95 e da tese da Desaposentação. 

Esclareço no meu livro que sempre há chances de melhorar a aposentadoria, porém; é necessário consultar um especialista da área previdenciária para elaborar os cálculos e para recomendar o melhor caminho diante das novas regras, bem como orientar os que vão se aposentar sobre as reais possibilidades de atingir o melhor benefício, constatando possíveis erros e consequentemente direitos ao aumento da renda de aposentadoria.

No Brasil, a legislação prevê que o homem pode aposentar por tempo de contribuição aos 35 anos de trabalho e a mulher aos 30 anos, independente da idade. Vale lembrar que quanto mais jovem o segurado vier a se aposentar menor será o valor da aposentadoria, pois caso não alcance a contagem de pontos 85 mulher (idade+tempo) e 95 (idade + tempo) homem, sofreram a redução do chamado Fator Previdenciário.

 


No caso dos aposentados que continuaram trabalhando com registro em Carteira, podem obter direito além da revisão, também a desaposentação; procedimento que visa realizar a troca do benefício por outro maior, ou seja; mais vantajoso. 

A tese da desaposentação surgiu porque a Constituição Federal prevê que se há contribuição do segurado, este deve ter a contrapartida e obter em troca os direitos previdenciários e tendo em vista que ao continuar trabalhando o segurado aposentado terá direito somente ao salário-família, reabilitação profissional e salário-maternidade, justo seria obter uma aposentadoria maior com base na inclusão das novas contribuições no cálculo da nova renda.

Atualmente a Desaposentação é uma realidade favorável ao aposentado que continuou trabalhando. O INSS não reconhece administrativamente esse Direito, razão pela qual é necessário entrar com ação judicial sempre juntando no processo os cálculos realizados por um especialista na área previdenciária.

Vale a pena procurar se informar, pois existem várias formas de melhorar a aposentadoria seja através de Revisão ou Desaposentação.

 

 

Por Taís Rodrigues dos Santos • Advogada OAB/SP 222.663, especialista na área previdenciária (Concessão e Revisão de Aposentadoria, Desaposentação, Pensões perante o INSS, Aposentadoria por Invalidez e Auxílio – doença e Acidentes de Trabalho) •  tayssantos@hotmail.com • (11) 3214-4043 • Facebook: LUTE DIREITO 


 

Voltar