FOTOS

Espaços pequenos, como decorar essa tendência!

 

É como se fosse uma equação, terrenos caros e escassos, de trânsito complicado a filhos e empregadas fixas que deixam os lares, ou a procura do primeiro imóvel, nada melhor que investir num apartamento pequeno onde os valores são palpáveis, aliados as condições de uma vida prática, onde temos academia, serviços de lavanderias, e tudo isso em áreas bem localizadas perto do metrô, OU TRABALHO. Fechou! Depois, da escolha e opção certa, nos vemos diante de um espaço reduzido, onde não imaginamos como acomodar tantos móveis, eletrodomésticos, necessidades e funcionalidade. A possiblidade de contarmos com um profissional detentor de conhecimento, é levada em consideração.
Este, capacitado que avaliará e estudará o lifestyle dos moradores e com base nesse estudo te apresentará propostas como: otimização e aproveitamento de espaços, escolha de cores, tipo de tintas, padrões, texturas, à disposição de mobília, conjugação e análise do contexto de todas as peças, melhor tipo de iluminação e criação de ambientes temáticos, contudo, é interessante ter uma ideia, de como funciona algumas soluções básicas, que podem vir a prover os caminhos por onde começar: 

Integrando ambientes, eliminação de paredes, nicho divisional ou móvel divisional, que atenda dois ambientes ao mesmo tempo (sala e cozinha), assentos com efeito de baús, pufes embaixo de móveis ou aparadores, que podem ser usados como mesinhas. 

 

Integrando ambientes, com eliminação de paredes


Móveis: O ponto inicial para uma boa solução é o estudo e planejamento dos espaços, definindo onde ficará cada ambiente e o layout. Podemos ter móveis coringa, um rack que possua uma mesa embutida para escritório, mesa da cozinha retrátil. Os móveis podem ser planejados, ou seja, que já existem em módulos tamanho padrão. (e são vendidos dessa forma). Ou móveis sob medida, todas as peças são desenvolvidas, pensando na necessidade individual, e confeccionadas em medidas variadas. Ambas as opções são válidas, dependem, de prazo de entrega (que variam), orçamento, entre outros, mas quaisquer das escolhas, necessitam de um planejamento com antecedência. 

Recursos de decoração como espelhos, cadeiras transparentes para mesa de jantar, papéis de parede com listras horizontais que gera a sensação de amplitude em ambientes estreitos. Cores vibrantes, só para objetos de decoração, o restante tons pastéis e brancos. Único revestimento para piso em todos os ambientes, dará aspecto de continuidade (em áreas frias, normalmente utilizamos pisos cerâmicos ou porcelanatos).

Para termos um ambiente com sensação maior, o mesmo demanda uma boa iluminação (sem focos escuros), menor a área, maior a necessidade de um bom projeto, para abranger detalhes, utilizando um numero maior de lâmpadas modernas e atraentes. 

O cuidado deve ser grande, como um “quebra-cabeças”, são muitos detalhes a se encaixar, num espaço reduzido, que trabalhados com bom gosto, equilíbrio, sem mistura de estilos, o que aparentará “ares de topa tudo”. Onde podemos ter sim, cores, arranjos florais, que aliados ao bom senso, ficam maravilhosos. 

 

Por Denise Fagundes • designer de interiores • www.denisefagundes.com.br

 


 

Voltar