FOTOS

Com direção de Jacques Lagoa, a comédia “De Artista e Louco Todo Mundo Tem um Pouco” faz temporada até 28 de junho no Teatro Bibi Ferreira


Comédia narra história de uma mãe que tenta impedir o casamento do filho e conta com ajuda de um carteiro, figura caricata que se desdobra para dar vida a outros membros da maluca família

Inspirada em situações corriqueiras no cotidiano, em cenas do universo familiar e em tudo aquilo que nós falamos, quando apenas estamos fora de nosso funcionamento normal, a comédia “De Artista e Louco Todo Mundo Tem Um Pouco” apresenta uma mãe enlouquecida que tenta impedir de toda a forma o casamento de seu filho, unindo-se a um carteiro maluco que insiste ser ator, e do nada, permanece nesta loucura familiar. Com sua noiva desequilibrada, e recebendo outras três personalidades, o filho luta pelo casamento impondo limites a todos. Com direção de Jacques Lagoa, a montagem fica em cartaz até o dia 28 de Junho de 2015. As apresentações acontecem sempre às sextas e sábados às 21h e domingos às 20h.

No texto originalmente escrito para a atriz e comediante Consuelo Leandro, realizou sua 1ª montagem para a inauguração do novo Teatro da Paz em Belém do Pará. Agora em nova concepção, esta comédia tem no elenco:Arlete Montenegro, Milton Levy, Claudio Andrade e Dani Marcondes.

Com temporada no Teatro Bibi Ferreira, a Tchesco Produções promove esta nova roupagem desta velha comédia, convidando Arlete Montenegro para atuar no espetáculo e Jacques Lagoa para assinar a direção da montagem.

Na peça, Arlete Montenegro interpreta uma mãe tresloucada, que morre de amores e ciúmes do seu único filho Beto. Dani Marcondes é Talita a noiva de Beto, uma moça aparentemente calma, mas que sofre de problemas com a sua tripla personalidade, se desdobrando em mais de dois personagens, Claudio Andrade, na pele do filho Beto que vai ficando perturbado a cada minuto no decorrer da peça, sem entender as loucuras da Mãe e da Noiva. Milton Levy faz o carteiro que no delírio da mãe, se mascara na pele de outras pessoas e parentes.

A peça leva o espectador a se sentir, um pouco artista, um pouco louco e quem sabe... Até morrer de rir.

Outros também já encarnaram a pele desta mãe tão maluca, Ronaldo Ciambrone na 1ª montagem, substituindo a Consuelo Leandro, e Paulo Pioli em 2ª montagem. No Rio de Janeiro, a peça ganhou outro nome “Artista e Cachaça, em Todo Lugar Se Acha” e desta vez, coube a veterana Vichy Millitelo viver o papel desta mãe possessiva. Outra montagem fez grande sucesso e em 1989 estreou em São Paulo, no Teatro Henfil, com Íris Bruzzi, Ronaldo Ciambrone, Alice de Carli e Nilson Raman. Após o sucesso em São Paulo, a peça viajou para o interior que motivou outras montagens como, no próprio Teatro Henfil, com Luigi Francesco, Lurdes de Moraes e Orlando Vieira, a frente do elenco. Ainda no papel de Berilda, Geórgia Gomide mostrou que também faz muita bem comédia, durante a temporada paulista.

Ronaldo Ciambrone, que sempre foi grande admirador de Consuelo Leandro, se inspirou no humor da atriz, humor esse, que nunca será esquecido por nós, brasileiro. DE ARTISTA E LOUCO TODO MUNDO TEM UM POUCO, marcou também a despedida da atriz que fazia a última montagem, produção realizada por Sandro Chain e com João Vitti, Fernando Muniz e Orlando Vieira, completando o elenco.

Ficha Técnica: Autor: Ronaldo Ciambroni Direção: Jacques Lagoa. Produção Executiva: Luiggi Francesco. Diretor de Produção: Gerardo Franco. Diretora de Produção: Carmen Sanches. Figurinista: Paula Andrade. Trilha Sonora: Servulo. Designer Gráfico: Marcos Badilho. Elenco: Arlete Montenegro, Milton Levy, Claudio Andrade e Dani Marcondes. Realização: Tchesco Produções Artísticas.

Serviço: De Artista e Louco Todo Mundo tem Um Pouco. Temporada: até 28 de junho, Sextas e Sábados às 21h e Domingo às 20h. Ingressos: R$50,00 (Inteira) e R$ 25,00 (Meia). Local: Teatro Bibi Ferreira, Av. Brigadeiro Luís Antônio, 931 – Bela Vista. Telefone: (11) 3105-3129.  Duração: 70 min Classificação: 12 anos.

 


 

Voltar