FOTOS

Novidades apresentadas no 73º Congresso Americano de Dermatologia (AAD American Academy of Dermatology) em São Francisco, Califórnia

 

Papada? Nem pensar

Os anos vão passando e o pescoço vai sentindo as reações do tempo. Mas o queixo duplo não é exclusividade das pessoas mais velhas, tem muito jovem com papo. A novidade atende por AXT 101, um produto medicamentoso, o Desoxicolato, que tem ação detergente que vai destruindo os lipócitos, células de gordura, provocando um processo inflamatório que retrai a derme (essa inflamação passa, não se preocupe). A grande diferença entre esse tratamento e os outros, é que o tempo de aplicação é menor, e o custo idem. 

O FDA, órgão regulador americano, afirma que o tratamento será aprovado em julho. É aguardar.

Botox 5, uma nova missão

É possível eliminar rugas nas bochechas e no pescoço com toxina botulínica, que vai sendo aplicada em micro doses e elimina, em uma sessão, as indesejáveis rugas. O tratamento já foi aprovado pelo FDA 

Novas funções  para o ácido hialurônico 

Preencher o periostio (o osso da mandíbula) com ácido hialurônico, ajuda a definir o contorno do rosto. Basta uma sessão.

Notox - ácido Hialurônico 

O passar do tempo mostrou para os médicos dermatologistas, que a aplicação excessiva de botox acaba enfraquecendo o músculo, principalmente da testa, pela falta de movimento e a longo dos anos os especialistas perceberam que as sobrancelhas ficavam flácidas, por falta de movimento do músculo.

Hoje com o Notox, é possível eliminar a flacidez, diluindo ácido hialurônico em anestésico. 

O tratamento, aprovado pelo FDA, ficou conhecido como Notox, e é para ser aplicado na testa. 

Basta uma sessão.

Simples assim 

Alguns cremes estão sendo manipulados para promover o DNA repair. Outros vêm com fator Steam Cell, que ajuda a diminuir as  bolsas debaixo dos olhos, as cicatrizes de acne e a púrpura senil, (manchas de idade). Esses cremes podem ser manipulados no Brasil, com a apresentação de receita fornecida pelo médico dermatologista, e podem ser usados diariamente, à noite. 

 

Por Dra. Patrícia Rittes • Dermatologista • Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e Pós-graduação Dermatológia • Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo • http://www.prittes.com.br/


 

Voltar