FOTOS

Dicas para as mulheres: Como cuidar da energia mental e prevenir a perda de memória através da alimentação


“Decidi não esperar as oportunidades e sim, buscá-las. Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de ser feliz.” – Walt Disney

Esta frase traduz o pensamento e a atitude de muitas mulheres, sem dúvida alguma, mas haja energia. Para garantir energia mental e capacidade cognitiva, melhorando a memória e retardando o envelhecimento do cérebro, a dica é prestar atenção na alimentação a fim de garantir que as células que executam essas funções recebam diariamente os alimentos vitais para que seu funcionamento e reconstrução. 

De um modo geral a alimentação balanceada e saudável fornece os alimentos que o cérebro necessita, e manter-se ativa fisicamente oxigena as células nervosas evitando sua degeneração.

 Mas para aquelas pessoas mais distraídas com a alimentação ou impossibilitadas de se alimentarem corretamente todos os dias, vale muito a pena incluir na atual rotina os nutrientes que fazem parte da composição da membrana plasmática neuronal, como a colina e o ácido graxo ômega-3, além de polifenois e flavonoides que retardam o envelhecimento e ferro, zinco e selênio essenciais ao funcionamento das células.

• A gema do ovo e a soja são grandes fontes de colina cuja função é participar da construção da membrana de novas células cerebrais e na reparação daquelas já lesadas, também são fontes de Acetil-colina: um neurotransmissor fundamental para as funções de memorização. Consuma de 2 a 3 ovos por semana e óleos vegetais diariamente.

• Salmão, sardinha, linhaça e chia são fontes de ômega 3, que participa da formação e manutenção do sistema nervoso e da constituição dos neurônios. Pensar em uma suplementação com óleo de peixe ou omega3 pode ajudar na memória além de ser um anti-inflamatório potente prevenindo agressões a células nervosas.

• Os polifenois, presentes nas nozes e frutas vermelhas, são imprescindíveis na prevenção do desgaste das células responsáveis pela memória e aprendizado.


• Os flavonoides estão presentes no chocolate meio amargo, no chá verde (Camellia sinesis) e no vinho tinto. Um estudo norueguês publicado no The Journal of Nutrition revelou que o consumo máximo de 10g de chocolate por dia ou 200 ml de chá verde ou 75 a 100 ml de vinho apresentaram o mesmo resultado como agentes que previnem o envelhecimento do cérebro.

• Minerais como ferro, zinco e selênio são encontrados em carnes magras e castanhas e são responsáveis pela oxigenação das células e por inúmeras trocas elétricas entre as células neurais. 


 Para cuidar das células do cérebro não basta fornecer os alimentos certos, é muito importante também poupá-lo de agentes agressores que venham a prejudicar sua função, formação ou regeneração.

Os maiores inimigos do cérebro são:

Alimentos ricos em açúcar: interferem na memória e prejudica a capacidade de aprendizado.

Álcool: além de prejudicar o fígado em longo prazo favorece a confusão mental que impacta a capacidade de pensar com clareza e a memória. 

Frituras: o aquecimento altera a estrutura molecular dos óleos e seus componentes tóxicos podem afetar o comportamento e funcionamento cognitivo do cérebro.

Alimentos muito salgados: o sal afeta a pressão sanguínea e o coração em longo prazo, afetando a função cognitiva e prejudicando a capacidade de pensar. 

 

Por Edina Aparecida T. Trovões • Nutricionista CRN3-1579 • edina.trovoes@terra.com.br
Consultório: 2307-1551

 


 

Voltar